Sobre Araucária

DADOS GERAIS

Integrada à Região Metropolitana de Curitiba – RMC, no primeiro planalto paranaense, Araucária ocupa uma área de 460,85 km², situa-se a 857m do nível do mar. O Município de Araucária faz parte do centro mais ativo e desenvolvido do Estado, com área de influência em crescente expansão e destaque na Região Sul do País.

Estrategicamente localizado em relação ao Mercosul, o Centro Industrial de Araucária – CIAR, com 46.137.500,00m² de área destinada ao pólo industrial, sediando as indústrias já instaladas e reservada às novas implantações, conta com matéria-prima local disponível para atender, principalmente a Agro-Indústria e a Petroquímica, com infra-estrutura, acesso rodo-ferroviário e fácil conexão com aeroportos e portos marítimos.

A Cidade

Situada às margens do Rio Iguaçu, é cortada pela BR-476 – Rodovia do Xisto, via de interligação da Região Sudoeste do País. Está a 27 km do centro de Curitiba. Nasceu de uma concentração de imigrantes eslavos, voltados inicialmente para a agricultura pelas condições propícias de clima e solo, com o cultivo de culturas como o trigo, milho, batata, hortaliças, fruticultura e avicultura.

Com a implantação da Refinaria Presidente Getúlio Vargas – REPAR, na década de 70, a cidade começou a sofrer influências do desenvolvimento industrial, servindo de sede a novas indústrias, com geração de empregos e o deslocamento de trabalhadores da área rural para a urbana.

Adapta-se ao processo de industrialização, mantendo suas características agrícolas, o que a torna um importante pólo agro-industrial.

População

A população atual é formada por descendentes dos primeiros habitantes da região (luso brasileiros, índios e negros) por descendentes de imigrantes poloneses, italianos, ucranianos, sírios, alemães, japoneses e por migrantes vindos de outras regiões, atraídos pela industrialização, a partir da década de 70.
População estimada 117.964 (IBGE/2009)

  • Território: 471,33 km²
  • Altitude: 897 metros
  • Instalação: 01/03/1890
  • Latitude: 25º 35′ 35” S
  • Longitude: 49º 24′ 37” W
  • DDD: 41
  • CEP: 83700-000

Mapas da Cidade (clique aqui)

  • Distâncias: está a 27 km do centro de Curitiba
  • Aeroporto – 32km
  • Paranaguá (porto) – 102km
  • São Paulo – 420km
  • Rio de Janeiro – 840km
  • Assunción – 910km
  • Montevidéo = 1.520km
  • Buenos Aires – 1.520km
  • La Paz – 2.210km

Limites

  • Norte: Campo Largo
  • Sul: Contenda, Quitandinha
  • Leste: Curitiba, Mandirituba e Fazenda Rio Grande
  • Oeste: Campo Largo, Contenda e Balsa Nova

Acessos

  • Área Urbana = 84,00 km 2 – 18,23%
  • Área Rural = 376,85 km 2 – 81,77%
  • Área do Município = 460,85 km 2 – 100,00%
  • Corresponde a 5,35% da RMC

Clima/Temperatura

Araucária situa-se numa região de clima subtropical quente-temperado, sempre úmido, variando de verões frescos a invernos frios com ocorrência de geadas. A temperatura média anual é de 16 ºC, variando entre 27 ºC em fevereiro e 8 ºC em julho. Maior precipitação no mês de janeiro e menor no mês de agosto. Todo o período é úmido. A umidade relativa do ar situa-se na faixa dos 80%.

Hidrografia

Uma irrigação generosa é proporcionada à região de Araucária por quatro bacias hidrográficas: Rio Iguaçu, Rio Passaúna, Rio Barigüi e Rio Cachoeira. Estima-se que a profundidade do lençol freático situa-se entre 3 e 6 metros nas partes mais altas e chegue a apenas 1 metro nas partes aluvionares. As condições de drenagem são favoráveis face às declividades naturais do terreno, situado no divisor de águas da Represa do Passaúna e do Rio Barigüi.

Geografia/Solo

A geologia da área urbana de Araucária é simples, sendo representada pela ocorrência das seguintes unidades geológicas ou litoestratigráficas: Aluviões, Complexo Cristalino (Embasamento) e Formação Guabirotuba (Bacia Sedimentar de Curitiba). A área apresenta um relevo relativamente suave, com altitudes variando entre 860 e 940 metros, sendo dividida em três aspectos morfogenéticos, intimemente ligados às litologias sobre as quais foram esculpidos. Regiões Planas, onde aflora a Formação Guabirotuba Colinas Baixas e Arredondadas sobre os migmatitos Planícies Aluvionares, nos fundos dos vales dos rios da região.

+ informações sobre a Geografia da cidade (clique aqui)

Principais Cultivos

  1. Milho
  2. Feijão
  3. Batata
  4. Repolho
  5. Cebola
  6. Hortaliças em geral
  7. Soja
  8. Pêssego
  9. Ameixa

Economia

VISUALIZAR

Infraestrutura Básica

VISUALIZAR

Área Industrial

Localidades

Áreas de Expansão Urbana

  • Guajuvira
  • General Lúcio

Localidades Urbanas

  • Barigüi
  • Passauna
  • Boqueirão
  • Porto das Laranjeiras
  • Cachoeira
  • Sabiá
  • Campina da Barra
  • São Miguel
  • Capela Velha
  • Thomas Coelho
  • Centro
  • Tindiquera
  • Chapada
  • Vila Nova
  • Costeira
  • Estação
  • Fazenda Velha
  • Iguaçu

Localidades Rurais

  • Bela Vista Colônia Melado Mato Dentro
  • Boa Vista Espigão Alto Onças
  • Botiatuva Faxinal Palmital
  • Campestre Faxinal do Tanque Ponzal
  • Campinas das Palmeiras Fazendinha Rio Abaixinho
  • Campina das Pedras Formigueiro Rio Abaixo
  • Campina dos Martins Fundo de Campo Rio Verde Abaixo
  • Campo Redondo Guajuvira de Cima Rio Verde Acima
  • Campo Tomáz Ipiranga Roça Nova
  • Camundá Lagoa Grande Roça Velha
  • Capinzal Lagoa Suja São Sebastião
  • Capoeira Grande Lavra Taquarova
  • Colônia Cristina Mato Branco Tietê

HISTÓRIA

ANIVERSÁRIO DO MUNICÍPIO: 11 DE FEVEREIRO

Na época do descobrimento do Brasil, a região onde está localizada Araucária, já era conhecida como Tindiqüera. Viajantes que aqui estiveram nos séculos XVI e XVII, bem como os mapas da época, localizavam as grandes aldeias indígenas, aparecendo entre estas a de Tindiqüera.

Em 1.668, o Capitão Mor Gabriel de Lara doou uma sesmaria a Domingos Rodrigues da Cunha e seus filhos na região de Tindiqüera. No final do século XVII, eram proprietários de terras na região o Alferes Gaspar Carrasco do Reis, Luiz da Cunha, Garcia Rodrigues Velho, o Capitão Manoel Ricam de Carvalho e o médico prático Paschoal Fernandes Leite, entre outros. Os habitantes de Tindiqüera, bem como de todo Paraná, viviam em extrema pobreza.

Em 1.837, a Capela de Nossa Senhora da Luz de Tindiqüera foi elevada a Capela Curada, um ano depois foram estabelecidas as primeiras divisas do bairro.
Gradativamente, a população foi transferindo-se para as margens do Rio Iguaçu, e a sede do curato de Tindiqüera passa para o local em que estava a capela de “Nossa Senhora dos Remédios do Yguassú”.

Através da Lei Provincial Nº 021, de 28 de fevereiro de 1.858, foi criada a Freguezia do Iguassú. Em 1.868, a Freguezia do Iguassú foi desligada de Curitiba e anexada como distrito de São José dos Pinhais até 1.888, quando volta a ser administrado por Curitiba.

A partir de 1.876, começou a corrente imigratória, isto no tempo do Império, principalmente por poloneses seguidos por alemães, italianos, ucranianos, que notavelmente deram à região um surto de progresso. Na década de 1950, iniciou a imigração japonesa.

A criação do Município deve-se ao encaminhamento feito pelo Major Sezino Pereira de Souza (chefe político da região), redigido pelo médico Dr. Victor do Amaral, de uma petição em forma de abaixo-assinado ao então Governador do Estado, o contra-almirante José Marques Guimarães, solicitando que a Freguezia do Iguassú fosse elevada a Vila e logo em seguida, fosse criado o Município.

Assim, pelo Decreto Estadual Nº 40, de 11 de fevereiro de 1.890, foi criado o Município de Araucária, que teve seu nome sugerido pelo Dr. Victor Ferreira do Amaral.

O primeiro administrador de Araucária, como intendente, foi o Major Sezino Pereira de Souza.

A primeira eleição municipal realizou-se no dia 22 de setembro de 1.892, sendo o primeiro Prefeito eleito de Araucária, o Sr. Manoel Gonçalves Ferreira. Em 1.911, foi criado o Termo Judiciário e em 1.919, o Município foi elevado à categoria de Comarca.

O distrito de Guajuvira foi criado em 1.947, e o Município perde temporariamente sua categoria de Comarca, ficando subordinado a São José dos Pinhais por quatro meses. Em 1.949, Araucária recuperou definitivamente sua categoria de Comarca. Gentílico: araucariense

EVOLUÇÃO ECONÔMICA

A região de Tindiqüera, mesmo não possuindo ouro, atraiu alguns interessados pela pequena região de campos incrustada e cercada por matas onde predominava a Araucária e a Imbuia. O trabalho consistia em cultivar a terra e criar gado em pequena escala, produzindo apenas o suficiente para o sustento das famílias. O isolamento em que viviam e a ausência do mercado consumidor impossibilitava qualquer tipo de comércio.

Surgiu então na região de Tindiqüera, um pequeno porto para canoas, conhecido como Passo das Laranjeiras. A partir daí se ergueu o aglomerado de pessoas que formariam a Vila de Araucária.

Tindiqüera era também passagem obrigatória entre Curitiba e Lapa. No final do século XVIII, a região produzia feijão, milho, fumo, toucinho, erva-mate e trigo.

Quanto à erva-mate, inicialmente, atendia apenas o consumo local. Mais tarde o produto passou a ser exportado.

Araucária era ponto de parada obrigatória para quem transportava erva-mate da Lapa para Curitiba.

Em 1866 a Freguezia do Iguassú contava com 2.565 habitantes, dos quais, 125 eram escravos que trabalhavam na agricultura e nos engenhos de soque.

Os moradores de Araucária se dedicaram à exploração da erva-mate até a década de 1940 quando houve o declínio das exportações para a Argentina, que se tornou auto-suficiente. Este trabalho era uma atividade exclusivamente masculina.

A presença dos imigrantes estrangeiros a partir de 1876 modificou a paisagem da região, com grande desenvolvimento da agricultura.

A exploração comercial da madeira iniciou-se na Freguezia do Iguassú a partir do século XIX, até a década de 1930, quando entra em crise pela devastação das reservas.

O crescimento econômico da região proporcionou a abertura de mercado para outras atividades geradoras de emprego para a população como olarias, cerâmicas, moinhos, fábricas de palhões, de massa de tomate, de caixas de madeira, de linho, de fósforo, de balas, de bolachas e torrefação de café.

Em 1972, com a instalação da Refinaria Presidente Getúlio Vargas e em 1973 com a criação do CIAR (Centro Industrial de Araucária), ocorreu um crescimento bastante acentuado e uma inversão no quadro populacional, econômico e social do Município, em que a população urbana passou a superar a rural com a vinda de um contingente populacional de vários pontos do país e a economia que se baseava na agricultura e pecuária passou a ser predominantemente industrial/urbana.

DECRETO Nº 40/1890

O Contra Almirante José Marques Guimarães, Governador do Estado do Paraná, atendendo ao que lhe requerem os moradores da Freguezia do Iguassu e localidades vizinhas decreta:

Art. 1°. O povoado da Freguezia do Iguassú é elevado à categoria de vila, com a denominação de “Araucária”.

Art. 2°. A Villa de Araucária será sede de um Município que terá por divisas: a leste, os rios das Antas, Maurício, Iguassu e Barigüy até a estrada da Villa do Rio Negro ao norte, em rumo do oeste, pelos limites da Colônia Thomáz Coelho até o Rio Verde a oeste por este Rio até o Iguassu, na foz do Ribeirão Izabel Alves até sua nascente d’ahi em procura das dos Rios Turvo que corta a estrada da Areia Branca até o Rio da Várzea ao sul por este Rio até a Foz das Antas.

Art. 3°. É nomeada uma Intendência Municipal para a Villa de Araucária, composta dos seguintes cidadãos: Presidente – Major Sezino Pereira de Souza Vice-Presidente – Capitão Veríssimo de Souza Marques Vogaes – Padre Francisco Soja, Major Joaquim Gonçalves Palhano, Antônio Arlindo Pereira, Francisco Ramiro Assis França e Valter Joslin.

Art. 4°. Ficam revogadas as disposições em contrário.

  • Palácio do Governo do Estado do Paraná, em 11 de fevereiro de 1890.
  • José Marques Guimarães

Nota: Coleção Histórica de Araucária – Museu Tingüi-Cuera Vol. 1. Agricultura e Indústria – A Memória do Trabalho em Araucária – 1990

SÍMBOLOS MUNICIPAIS

BANDEIRA

A confecção da Bandeira do Município obedecerá as seguintes normas:

  • Para cálculo das dimensões tomar-se-á por base a largura desejada, dividindo-se esta em 14 (quatorze) partes iguais. Cada uma das partes será considerada um módulo. O comprimento será de 20 (vinte) módulos.
  • Escudo sobreposto na faixa branca, situar-se-á no centro da bandeira, obedecendo a uma margem superior.
  • São adotadas como cores oficiais representativas do Município o branco, verde e azul.
  • Branco é símbolo da paz, da ordem, da tranqüilidade como comportamento da população já demonstrado no decorrer da sua história.
  • Verde representa o símbolo do Município, a pujança da agricultura e fruticultura.
  • Azul é pureza de sentimentos, elevação do homem para Deus, condições essenciais para o trabalho fecundo e também a marca do Rio Iguaçu, denominador comum da paisagem urbana e rural da comunidade.

(Fonte: SMCT/03)

HINO

Letra: Francisco Pereira da Silva
Música: Sebastião Lima

Araucária, Araucária
És a terra mais linda que há
Araucária, Araucária
Cidade Símbolo do Paraná

Vem de longe o teu nome pioneiro,
De um passado remoto e feliz
Tens a forma do altivo pinheiro,
Fostes chão dos briosos Tingüis.

Vem de longe romântica era,
A tua história tão plácida, enfim.
És aquele gentil Tindiquera,
Para nós que te amamos, jardim.

Araucária, Araucária,
És a terra mais linda que há
Araucária, Araucária,
Cidade Símbolo do Paraná

Ainda ontem, um sonho fecundo,
Pura e simples, quanto hoje ainda és,
Mas despertas pras lutas do mundo,
Sobre a argila que dorme aos teus pés.

Sim, despertas de um plácido sono,
Tua cultura, teu viço e frescor,
Sob o braço do altivo colono,
Hoje cantas um hino ao labor.

Sim, despertas, valente operária,
Sempre moça e mais linda, só tu,
Que o progresso te chame, Araucária,
Nos murmúrios do manso Iguaçu.

Oficializado pelo Decreto nº 490/72

(Fonte: SMCT/03)

DOWNLOAD – MP3

BRASÃO

Ao centro um escudo português, dividido por linhas, formando campos distintos.

  • Na parte inferior em azul, o Rio Iguaçu, em verde a mata nativa e em vermelho o nome do Município
  • Na parte superior, sobre o azul, raios solares que se divergem, em busca de novos horizontes
  • Ao alto o mural das antigas municipalidades, símbolo das cidades.
  • Ao lado esquerdo uma haste de trigo maduro, um dos principais produtos agrícolas de região e ao lado direito uma chaminé simbolizando a indústria, trazendo-nos a esperança de progresso.
  • Na parte inferior do Escudo, encontra-se a data da elevação.

(Fonte: SMCT/03)

DATAS COMEMORATIVAS

  • 11 de fevereiro de 1890 – Emancipação Política do Município
    Data do Decreto Estadual nº 40 – Araucária é elevada à categoria de Vila, desmembrada de Curitiba.
  • 1º de março de 1890 – Data da instalação do Município.
  • 19 de abril de 1919 – Data da Lei Estadual nº 1908 – Araucária passa a ser sede de Comarca.
  • 30 de outubro – Padroeira – Nossa Senhora dos Remédios

(Fonte: SMCT/03)

PREFEITOS

Nome 

Situação

  Período

Major Sezino Pereira de Souza

Nomeado

11/02/1890 A 24/07/1890

Antônio Arlindo Pereira

Nomeado

25/07/1890 A 07/11/1891

Padre Francisco José Soja

Nomeado

08/11/1891 A 20/12/1891

Antônio Arlindo Pereira

Nomeado

21/12/1891 A 24/09/1892

Manoel Gonçalves Ferreira

Eleito

25/09/1892 A 04/02/1894

Major Joaquim Gonçalves Palhano

Nomeado

05/02/1894 A 11/05/1894

Capitão Manoel Gonçalves Ferreira

Nomeado

12/05/1894 A 21/07/1900

Eduardo dos Santos Muller

Eleito

22/09/1904 A 28/03/1905

Cap.Theolindo Gonçalves Ferreira

Eleito

29/03/1905 A 05/05/1905

Eduardo dos Santos Muller

Eleito

06/05/1905 A 01/07/1908

Cap. Theolindo Gonçalves Ferreira

Eleito

02/07/1908 A 20/07/1908

Major Sezino Pereira de Souza

Eleito

21/07/1908 A 19/07/1924

Miguel Bertolino Pizatto

Eleito

21/09/1924 A 20/09/1930

João Leite Furtado

Nomeado

09/10/1930 A 17/04/1932

Felizardo José De Aquino

Nomeado

18/04/1932 A 11/10/1934

Odorico Franco Ferreira

Nomeado

12/10/1934 A 13/02/1941

Rubens Dória de Oliveira

Nomeado

06/02/1941 A 12/11/1945

Francisco Trauczynski

Nomeado

13/11/1945 A 30/12/1945

Alberto Dalla Bona

Nomeado

01/01/1946 A 25/11/1946

Estanislau Trauczynski Sobrinho

Nomeado

26/11/1946 A 06/12/1947

Alderico Zanardine Ozorio

Eleito

07/12/1947 A 06/12/1951

Romualdo Sobocinski

Eleito

07/12/1951 A 06/12/1955

Alderico Zanardine Ozorio

Eleito

07/12/1955 A 06/12/1959

Ignácio Kampa

Eleito

07/12/1959 A 06/12/1963

Aleixo Grebos

Eleito

07/12/1963 A 22/09/1969

Rizio Wachowicz

Eleito

01/02/1969 A 31/01/1973

José Tadeu Saliba

Eleito

01/02/1973 A 18/06/1977

Rizio Wachowicz

Eleito

01/02/1977 A 20/10/1983

Rogério Donato Kampa

Eleito

01/02/1983 A 31/12/1988

Albanor José Ferreira Gomes

Eleito

01/01/1989 A 31/12/1992

Edvino Kampa

Eleito

01/01/1993 A 31/12/1996

Rizio Wachowicz

Eleito

01/01/1997 A 20/06/2000

Albanor José Ferreira Gomes

Eleito

01/01/2001 A 31/12/2004

Olizandro José Ferreira

Eleito

01/01/2005 A 31/12/2008

Albanor José Ferreira Gomes Eleito 01/01/2009 a 31/12/2012

Atual Prefeito

Olizandro Ferreira

Eleito          

01/01/2013 a 31/12/2016

MAPAS URBANISMO

MAPAS DAS ÁREAS DE ABRANGÊNCIA DA SAÚDE

MAPAS DAS ÁREAS DE ABRANGÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

MAPAS AEROS 1998

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.