ParanáPolítica

Vereadores aprovam aumento de mais de 90% nos próprios salários na RMC e criam mais duas cadeiras

A Câmara de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), aprovou, a toque de caixa, um aumento de aproximadamente 90% dos salários que será pago aos vereadores que forem eleitos em outubro do ano que vem e que assumem as cadeiras em 2017. O salário bruto dos parlamentares vai passar dos R$ 6.181,00 para R$ 11.181,00. De quebra, para dividir o ônus da repercussão negativa do aumento aprovado em sessão extraordinária, os vereadores decidiram aumentar os salários do prefeito, vice e secretários, por meio do Projeto de Lei 9/2015.

A votação durou menos de dois minutos e dos 13 vereadores, apenas Juarez da Silva (PSDB) votou contrário. O salário do prefeito passa, em 2017, de R$ 20.098,52 para R$ 24.500,00, um aumento de cerca de 20%. O vice receberá um aumento equivalente a 40%, passando de R$ 10.347,19 para R$ 14.000,00. Já para os secretários, o aumento é de aproximadamente 12%, passando dos R$ 11.003,66 para R$ 14 mil. O futuro presidente da Câmara, que for eleito em 2013, ganhará, além de R$ 11.181,00, mais um terço deste valor (R$ 3.933,33), o que dará um salário de pouco mais de R$ 15 mil.

O projeto de lei que concede o aumento a vereadores, prefeito, vice e secretários teve uma tramitação rápida. O projeto foi assinado por quatro membros da Mesa: presidente Silvestre Savitzki, 2º vice presidente Luiz Sérgio Claudino, Claudinei Messias Lebedieff, o Homem do Chapéu (1º secretário) e Gilberto Batista de Souza (2 º secretário). Durante a votação, não houve discussão e foi aprovado rapidamente. O aumento é legal e está assegurado pelo Tribunal de Contas do Estado e pela própria Constituição

Mais duas cadeiras

Além de aumentar os próprios salários em 90%, os vereadores de Fazenda Rio Grande também ampliaram o número de cadeiras na Casa de 13 para 15, por meio de projeto de Emenda à Lei Orgânica, de 19 de junho deste ano. No escopo da matéria, a justificativa de que Fazenda Rio Grande apresentou nos últimos anos grande crescimento populacional e precisa ter o número de representantes aumentado.

O projeto de Emenda foi apresentado e votado em uma sessão extraordinária. A reportagem de O Repórter ouviu alguns moradores de Fazenda Rio Grande, em trânsito pela Praça Brasil. A maioria é contra o aumento de vereadores na Câmara Municipal, de 13 para 15, a partir da eleição de 2016.

“É um absurdo aumentar o número de vereadores e pior ainda aumentar o salário, justamente num momento em que o País atravessa recessão econômica. Infelizmente isso acontece num momento de dificuldades em todo o País, mas política é isso ai. Deveriam os vereadores, ao menos, consultar a população”, desabafou Mário Antunes, aposentado e que mora no Bairro Nações.

Para os entrevistados, o aumento do número de vereadores só vai aumentar o gasto público da cidade. “O povo não precisa de quantidade, precisa de qualidade”, disse Matheus Carvalho, morando pouco mais de quatro anos no município. Para ele, o ideal seria diminuir o número de cadeiras.

Imoralidade

Para o advogado Douglas Bitencourt, especialista em Direito Público, embora o aumento de vereadores tenha base legal, seria importante que os parlamentares refletissem sobre o atual momento econômico do país e dos municípios. “Embora seja amparado por lei, não deveríamos falar em aumento de vereadores, no momento em que o país não consegue nem ao menos debater a reforma política. Não basta aumentar a quantidade de vereadores, é preciso atender aos princípios básicos como a razoabilidade e a proporcionalidade. No mais, é importante ressaltarmos a inefetividade na maioria das Câmaras Legislativas. É notório que há uma baixíssima proposição normativa e quando tem, nem sempre são suficientes e eficazes para a sociedade, o que corrobora para o desprestígio dos vereadores”, apontou.

Ele reforçou ainda que o aumento de vereadores no atual quadro econômico e político do Brasil, torna-se algo próximo à imoralidade social, tendo em vista que o seu aumento gera um impacto orçamentário, onde tais recursos poderiam ser direcionados à áreas totalmente abandonadas pelo Poder Público. “Na verdade, os vereadores querem esconder o assunto do povo, mas quem sabe a resposta possa ser dada na eleição de 2016”, finaliza Dr. Douglas.

BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.