Brasil

Um em cada dez brasileiros sofre de doença nos rins

Da Gazeta do Povo

pedra-nos-rins

Responsáveis por afetar um em cada dez brasileiros com algum nível de gravidade, as doenças dos rins podem ser diagnosticadas precocemente, o que evita muitos dos males decorrentes das manifestações mais agudas. É nisso que acreditam as sociedades renais internacionais, que se uniram em 2006 para criar o Dia Mundial do Rim, comemorado sempre na segunda quinta-feira de março, portanto neste dia 12 de março.

No Brasil, a campanha de 2015 da Sociedade Brasileira de Nefrologia tem como mote “Rins Saudáveis”. No Paraná, o esforço de promoção ao combate desse tipo de doença conta com o apoio do Instituto GRPCom, da Gazeta do Povo e do Instituto Pró-Renal. Além disso, o Hospital São Vicente realiza uma série de palestras sobre problemas renais a partir das 13h30 desta quinta-feira em sua sede em Curitiba.

Além do grupo de risco principal– formado por pessoas de origem asiática, africana e hispânica –, as doenças renais afetam também homens e mulheres a partir dos 40 anos, quando passam a perder 1% de sua capacidade ao ano a partir dessa faixa-etária.

Cirurgias

O Ministério da Saúde informa que foram realizadas em 2013, último dado disponível, 5.288 cirurgias de transplante de rim. A lista de espera atualizada é de 24.280 pessoas para transplante. A Secretaria de Estado da Saúde afirma que, de janeiro até o momento, foram feitos 49 transplantes de rins no estado e 1.547 pessoas aguardam na lista de espera pelo órgão.

De acordo com a médica Carolina Maria Pozzi, do Hospital São Vicente, 70% das pessoas que sofrem de doenças renais não têm conhecimento de sua situação. “Por isso, enfatizamos a importância do exame de sangue e de urinas nas campanhas de prevenção”, diz. “Quanto antes for realizado o diagnóstico, maiores são as chances de um tratamento bem sucedido .”

A diretora do Instituto Pró-Renal, Anelise Marcolin, afirma que, em casos mais graves, perde-se quase toda a capacidade de processamento do sangue. “As doenças renais são silenciosas e seus primeiros sintomas – cansaço, falta de apetite, maior palidez e mudanças de hábitos urinários – podem ser confundidos e até deixados de lado.”

Segundo Marcelo Mazza, professor de nefrologia da UFPR, um dos sinais de alerta para as doenças renais é que elas são normalmente associadas a outras enfermidades, como hipertensão, diabetes e obesidades. “Ter alguma dessas outras doenças aumenta as chances de manifestação de problemas nefrológicos.”

Para Carmem Tzanno, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, os meios de prevenção são simples e incluem atitudes como: exercícios regulares; boa alimentação; controle de diabetes e pressão arterial; ingestão regular de água durante o dia; e não fumar nem tomar remédios sem prescrição médica.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.