Paraná

UFS-UNIÃO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA é lançada oficialmente e fortalece luta da categoria policial do Paraná

Foi realizado na manhã desta quarta-feira (24) o lançamento oficial da UFS, União das Forças de Segurança Pública do Paraná, com o objetivo de fortalecer a luta dos profissionais da área pela devida valorização e garantia de direitos. Representantes das 11 entidades que compõem a UFS estiveram presentes e destacaram a preocupação com a desmotivação e desvalorização dos agentes da segurança pública diante de tamanho descaso do Governo Estadual.

A crise está instalada, há uma desmotivação gigantesca entre os policiais. Não podemos esquecer que, por trás do uniforme ou da farda existe um pai de família, uma mãe de família. Como vamos para as ruas, trabalhar tranquilamente, sabendo que nossas famílias estão desguarnecidas? Soma-se a isso o calote da data-base. Não queremos baderna, queremos diálogo, para uma solução conjunta. Até quando nossos policiais vão aguentar, sem valorização remuneratória?”, destacou o presidente da ADEPOL, Dr. Daniel Fagundes.

Para o presidente do SINCLAPOL, Kamil Salmen, a união do grupo é o que fará toda a diferença nesta luta. “Nós trabalhamos há mais de 20 anos na área e conhecemos muito bem a realidade. A polícia está doente, mesmo assim nunca paramos, continuamos batendo recorde no combate à criminalidade”. E deixou bem claro: “Só vamos falar se for com o governador. E com esse grupo aqui, ninguém mais e ninguém menos. Vamos começar uma campanha publicitária, para mostrar para a população como vive o policial, e esperamos que o governador não demore a nos chamar para conversar”.

A campanha terá uma forte atuação em todo o Paraná com o engajamento de toda a categoria e a população em geral, por meio das redes sociais e também por mídia impressa, inclusive, outdoors e painéis de LED para mostrar para a sociedade a verdadeira realidade do efetivo das polícias do estado.

O presidente do SINDARSPEN, Ricardo Miranda, também destacou durante o lançamento que depois da campanha eleitoral, o discurso do agora governador, Ratinho Junior, ficou esquecido: “Foram fechadas as portas do Palácio e nós estamos ainda aguardando a reposição salarial. Seguimos na missão, desmotivados e doentes, enfrentando ainda o desafio da contaminação da COVID-19”.

Dando continuidade aos pronunciamentos, o vice-presidente da ASSOFEPAR, Coronel Edmilson de Barros, ressaltou que a atuação será de forma educada e ordenada, respeitando os limites legais de cada entidade. “Queremos ser ouvidos, poder sentar com o governador e buscar uma solução efetiva. Sabemos das dificuldades do Estado, mas precisamos dar uma expectativa para o nosso pessoal, a valorização pelo sacrifício diário da profissão”, explicou ele.

“É um desrespeito do Governo com os profissionais da segurança pública. Ele não nos recebe, apresenta projetos de lei que afetam diretamente nossas vidas e não abre espaço para debater os temas. É uma falta de respeito com a dignidade da pessoa humana”, complementou o presidente do SINPOAPAR, Paulo Zempulski.

“Nós só vamos conseguir alguma coisa por meio de mobilização ou negociação. E sabemos que uma mobilização não é boa para ninguém, nem para a sociedade, nem para o Governo, e muito menos para os policiais. Nosso pedido é para que o governador receba os representantes das forças de segurança”, afirmou o presidente do Sidepol, Dr. Antonio Simião.

Finalizando os pronunciamentos, o presidente da APML, Subtenente Marcelo Amaro, representando as praças da Polícia Militar do Paraná, destacou que a segurança pública não é feita pelo governador, é feita pelos policiais. “São deles os resultados positivos que vemos nas notícias. Homens e mulheres que são representados por essa união das forças de segurança pública. Precisamos nos unir como agora, para reivindicar uma conversa direta com quem é o responsável pelo pagamento de um calote que enfrentamos desde 2016”, ressaltou.

Além de profissionais da imprensa e representantes das entidades sindicais e associativas, também estiveram presentes o Delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach; e o Comandante-geral da PMPR, Coronel Hudson Leôncio Teixeira.

A União das Forças de Segurança – UFS é composta por 11 entidades dos policiais civis, policiais militares, policiais científicos e policiais penais: Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná – SINCLAPOL, Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná – ADEPOL, Sindicato dos Policiais Penais do Paraná – SINDARSPEN, Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Estado do Paraná – ASSOFEPAR, Associação da Vila Militar – AVM, Associação dos Policiais Militares do Litoral – APML, Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxiliares do Paraná – SINPOAPAR, Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas – AMAI, Clube dos Oficiais da PMPR, Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná – SIDEPOL e Sociedade Beneficente dos Subtenentes e Sargentos – SBSS.

Acompanhe a UFS pelas redes sociais!

Site: www.ufspr.com.br
Facebbok: www.facebook.com/USSPPR
Instagram: @ufs_pr
Twitter: www.twitter.com/UfsPr
Youtube: www.youtube.com/channel/UCWMLJpkKypdoNKu0t70uz3A

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.