Paraná

Segurança Pública se reúne com comitiva do Pará para tratar do acidente na BR-376

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança Pública, está em tratativas com o Governo do Pará para alinhar questões referentes ao acidente ocorrido na manhã de segunda-feira (25), na BR-376, sentido sul, em Guaratuba, Litoral do Paraná. Nesta terça-feira (26), a Secretaria recebe uma comitiva daquele estado composta por um médico, um perito, um bombeiro, um delegado de Polícia Civil e um major da Polícia Militar. Os profissionais devem chegar no início da tarde em Curitiba.

Todas as instituições vinculadas à Secretaria de Estado da Segurança Pública trabalham integradas para dar atendimento às vítimas e suporte para esclarecer o acidente com ônibus. “Estamos trabalhando com a Secretaria da Segurança do Pará para que a solução deste caso se dê o mais breve possível. Nosso esforço é total para diminuir o sofrimento das famílias neste momento de dor, gerada por esta grande tragédia”, afirma o secretário Romulo Marinho Soares. 

Os papiloscopistas da Polícia Civil do Paraná, em parceria com a Polícia Científica, já identificaram 16 corpos através de exames necropapiloscópicos, processo pelo qual coletam as impressões digitais e realizam o confronto com padrões enviados pela Polícia Civil do Pará. Outros três corpos estão sendo identificados pela Polícia Científica por meio de exame de DNA.

POLÍCIA CIENTÍFICA

Quando um acidente desta magnitude ocorre, a Polícia Científica do Paraná aciona a Comissão Permanente de Identificação de Vítimas de Desastres (DVI), cuja presidente é a perita Viviane Paola Zibe e Piegel, para realizar o protocolo internacional de identificação das vítimas. Neste caso em particular, foram enviados sete peritos criminais para o local a fim de periciar tanto o acidente quanto atuar na preservação dos vestígios para auxiliar a identificação de todos os envolvidos.

“Nossa participação foi para recolher dados que vão subsidiar na identificação das vítimas”, disse Viviane. “A perícia verificou também as condições da pista e da sinalização naquele local e começou a reconstruir a dinâmica desta ocorrência”, completou o perito oficial e Coordenador das ações da Polícia Científica no Verão Consciente, Alex Tavares.

O Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba realizou todas as dezenove necropsias até o fim da tarde de segunda-feira. Até as 12h horas desta terça-feira (26/01), quinze haviam sido identificados, por papiloscopista da Polícia Civil. Os demais estão em processo de DNA.

POLÍCIA CIVIL

De acordo com o delegado plantonista de Guaratuba, Cristiano Quintas, as investigações continuam e será instaurado um inquérito policial a cargo da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran). “Foi determinada que a Dedetran fizesse o inquérito policial, até mesmo em razão dos corpos das vítimas estarem sendo removidos para o IML de Curitiba”, disse. 

O delegado ouviu o motorista do ônibus. “O motorista não apresentava sinais de embriaguez e relatou que teria detectado um problema nos freios, ao entrar em uma curva, mas não conseguiu entrar em nenhuma área de escape, bateu no guard rail, tombou e caiu em um desfiladeiro”, informou. Ainda segundo ele, serão ouvidas testemunhas e vítimas sobreviventes.

ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS

Desde os primeiros momentos equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar e do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), trabalharam no socorro das vítimas e na localização dos corpos. A Polícia Civil e a Polícia Científica também foram acionadas. De acordo com a tenente do Corpo de Bombeiros, Ana Paula Inácio de Oliveira Zanlorenzzi, o trabalho das equipes teve foco no atendimento às vítimas que estavam no local.

 “Todas as vítimas foram atendidas pelo protocolo de Sistema de Comando de Incidentes (SCI) e foram triadas de acordo com a gravidade de seus ferimentos e lesões”, explicou. Todas as vítimas foram encaminhas para hospitais da região. As que apresentavam estado mais grave foram encaminhadas, via aeronave do BPMOA, para o Hospital Cajuru, em Curitiba e para o Hospital São José, em Joinville. Já as vítimas leves e moderadas foram encaminhadas, por ambulâncias, a hospitais em Garuva e Joinville, em Santa Catarina. Também houve apoio de uma aeronave de Santa Catarina no transporte.

EQUIPE ESPECIALIZADA

O tenente Henrique Arendt Neto, do BPMOA, conta que além dos transportes de vítimas, a aeronave também serviu para levar uma equipe especializada ao local. “Levamos uma equipe do Grupo de Operações de Socorro Tático – GOST junto com o canil, com cão especializado em busca de vítimas, para localizar aquelas que pudessem ter sido ejetadas do ônibus para a área de mata, por exemplo”, esclareceu.

O Corpo de Bombeiros utilizou caminhões de combate a incêndio e resgate, ambulâncias e viaturas de busca e salvamento, além de duas aeronaves do BPMOA. Também prestaram apoio, de forma integrada com o Governo do Paraná, viaturas da Concessionária Litoral Sul; Polícia Rodoviária Federal (PRF); aeronaves Águia de Santa Catarina; viaturas do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina; Polícia Militar de Santa Catarina e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

AEN 

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.