Paraná

Se salário não cair até hoje, motoristas e cobradores vão cruzar os braços amanhã

O dia de hoje promete ser decisivo na crise do ônibus em Curitiba. Se as empresas de ônibus não pagarem o salário de novembro pra seus funcionários até a meia-noite, uma nova greve deve ser deflagrada. As empresas afirmam que não tem dinheiro pra honrar as obrigações com os trabalhadores. A prefeitura diz que todos os repasses estão sendo feitos.

Além da possível greve, o Sindimoc, que representa os trabalhadores, ingressou com um dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na quinta-feira. O sindicato pede que as empresas de ônibus sejam multadas em R$ 1 milhão por dia, caso atrasarem os pagamentos de motoristas e cobradores de novembro, dezembro ou janeiro, incluindo o 13.º salário.

A entidade relata a ocorrência de atrasos no pagamento de salários e auxílios desde o início do ano, em 15 empresas. Hoje, as três partes envolvidas participarão de uma audiência de conciliação no TRT, às 14h30.

Ainda não há uma solução para o impasse, mas o Setransp, através de sua assessoria de comunicação, declarou estar “otimista” com as negociações e que deve conseguir efetuar os pagamentos nesta segunda e evitar a greve. Já o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, diz que o clima é de apreensão. A situação é bastante similar do que ocorreu na semana passada.

 

PrOn

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.