Paraná

Recebido por multidão no Afonso Pena, Bolsonaro promete ‘varrer corrupção’

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) foi recebido por uma multidão, hoje, no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba). Em rápido discurso, o presidenciável prometeu “varrer a corrupção” do País e disse que a manifestação era espontânea.

“Não adianta criar rótulos contra a minha pessoa. Podem me chamar de tudo, só não me chamam de corrupto. Nós vamos varrer a corrupção do nosso Brasil”, afirmou ele. “Não estamos fazendo comício. Aqui não tem um centavo meu para qualquer tipo de campanha”, disse o parlamentar, no discurso.

Depois disso, Bolsonaro deve almoçar em Curitiba, em local ainda não divulgado, e seguir de carro para Ponta Grossa, Campos Gerais. Lá ele tem reunião marcada com correligionários às 18 horas. Em seguida, às 18h20, inicia uma passeata na Avenida Vicente Machado, no município.

Amanhã, Bolsonaro volta à capital paranaense. O presidenciável participará de um almoço por adesão no Restaurante Madalosso, em Santa Felicidade, a partir do meio-dia. A participação no almoço tem um custo de R$ 45 por pessoa, podendo ser comprado no aeroporto (durante a chegada de Bolsonaro), no escritório do deputado federal Fernando Francischini (Rua Inácio Lustosa 1.059, bairro São Francisco) e no próprio Madalosso na hora do evento.

Ataque a Lula – A visita de Bolsonaro é coordenada pelo deputado federal Fernando Francischini, secretário-geral do PSL. A coordenação nacional da campanha do deputado divulgou nota afirmando considerar inaceitável o ataque a tiros à caravana do ex-presidente Lula no Paraná.

Francischini, defendeu uma investigação rigorosa e uma ação rápida da polícia para solucionar o caso.
O deputado paranaense disse que os ataques foram um atentado à democracia. Apesar do posicionamento, o deputado faz críticas aos petistas. Francischini afirmou que a coordenação da pré-campanha fez questão de não realizar atos em Curitiba hoje (quarta) justamente por causa do comício do ex-presidente Lula que está marcado para o fim da tarde.

A Polícia Militar informou que vai intensificar patrulhamento no roteiro de Bolsonaro, mas que a mobilização policial para ambos os eventos será normal e não haverá destacamento especial.

Durante a passagem pelo Afonso Pena, Bolsonaro não quis falar com a imprensa. Questionado sobre o ataque à caravana de Lula, limitou-se a dizer: “Eles que deram”.

 

BEM PARANA

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.