Araucária

Protesto em Araucária causa R$ 190 mil em prejuízo, dizem empresas

11129761_1602390036642930_5853954452010738974_nAs duas empresas que tiveram ônibus depredados em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, estimam que o prejuízo pode chegar a R$ 190 mil. A manifestação dos passageiros aconteceu na manhã de segunda-feira (13). O ato foi motivado por mudanças na cobrança das passagens de ônibus.

A confusão começou quando muitos passageiros chegaram no Terminal Angélica e tentaram passar os cartões da Urbs, autarquia que cuida do transporte público em Curitiba. Porém, o convênio que a Urbs mantinha com a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) foi suspenso após impasses entre a prefeitura da capital e o governo do estado.

Segundo a Guarda Municipal, pelo menos um adolescente, de 16 anos, foi apreendido por atirar pedras em um dos ônibus. Para tentar conter os manifestantes, a Guarda fez uso de bombas e efeito moral e balas de borracha.

A nova forma de cobrança fez com que os passageiros de Araucária precisassem desembolsar R$ 5,80 para chegarem a Curitiba. O valor inclui R$ 2,50 que é pago para ir até o terminal e outros R$ 3,30, da passagem para chegar à capital. Antes disso, o valor cobrado era de apenas R$ 3,30, assim como quem usa o transporte na capital.

o terminal foi preciso fazer mudanças para implantar o novo sistema. Os passageiros agora saem dos ônibus interbairros de Araucária e precisam passar por outra catraca, para pagarem a passagem que os leva a Curitiba.

A nova tarifa passou a valer no dia 18 de fevereiro deste ano. Desde então, os passageiros já realizaram vários outros protestos. O valor para circular dentro da cidade é de R$ 2,50 para pagamento com o cartão transporte do município e R$ 3,30 para quem paga a passagem com dinheiro.

Restrições
Os passageiros também protestaram contra o fim o uso do cartão transporte na Região Metropolitana a partir desta segunda-feira (13). Eles só poderão fazer a integração se pagarem a passagem em dinheiro ou com passes de papel.

Segundo a determinação, os créditos que foram colocados no cartão da Urbs até o dia 6 de fevereiro, ainda podem ser usados nos ônibus da Região Metropolitana. Já as passagens compradas no cartão após essa data só podem ser usados nas linhas de Curitiba.

A mudança vai atingir os passageiros de 13 cidades, que utilizam o sistema integrado com a capital. A medida foi tomada pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), vinculada ao governo do estado. Inicialmente, os passes seriam cobrados a partir de 29 de março, mas a data foi alterada.

Em nota, o governo do Paraná informou que o vale transporte de papel é temporário e que em breve deverá ser lançado o cartão de transporte metropolitano.

“Apesar da separação financeira do sistema, a integração físico-operacional entre Curitiba e os 13 municípios da região metropolitana está mantida. Ou seja, o usuário metropolitano que embarcar em um ônibus da Rede Integrada de Transporte Metropolitano vai se deslocar até um terminal em Curitiba. O usuário vai descer dentro do terminal e poderá embarcar em outro ônibus, sem a necessidade de pagar uma nova passagem”, diz o texto completo.

Entenda sobre o fim da integração
Para garantir ao usuário de ônibus um preço único de passagem, o Governo do Paraná – por meio da Comec – e a Prefeitura de Curitiba mantinham um convênio que venceu em dezembro de 2014 e não foi renovado. Sem acordo entre as partes, a unificação das linhas de transporte urbano de Curitiba e Região Metropolitana acabou.

A partir de fevereiro, as responsabilidades sobre o gerenciamento do transporte passaram a ser divididas entre as esferas municipal e estadual. Os valores praticados na capital paranaense são de R$ 3,15 para pagamento com o cartão transporte e R$ 3,30 para quem pagar a passagem em dinheiro.

O preço da passagem de ônibus para as linhas metropolitanas que compõem a Rede Integrada de Transporte (RIT) é o mesmo de Curitiba – R$ 3,30. Para as linhas não integradas, no entanto, os valores são variáveis de acordo com o trajeto.

G1

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Um Comentário

Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é exclusiva de seus autores. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Não é a primeira reportagem que vejo com este texto.. “… o usuário metropolitano que embarcar em um ônibus da Rede Integrada de Transporte Metropolitano vai se deslocar até um terminal em Curitiba. O usuário vai descer dentro do terminal e poderá embarcar em outro ônibus, sem a necessidade de pagar uma nova passagem”,… MAAAAS, vai lá em Contenda, pega o ônibus, que É administrado pela RIT e vê até onde se consegue ir com apenas uma passagem… Se o ônibus É administrado pela RIT, deveria fazer INTEGRAÇÃO com todos os ônibus e linhas da RIT, e, porque isso não acontece? Já fiz reclamação sobre isso na COMEC, na CMTC, na Prefeitura de Araucária, já questionei a Prefeitura de Contenda, e ninguém responde nada.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.