Curitiba

Prefeitura de Curitiba vai inaugurar Escritório Local do Caximba

As 1.693 famílias beneficiadas com o projeto Bairro Novo do Caximba vão ganhar nas próximas semanas um equipamento público para atender diariamente as demandas da comunidade, sanar dúvidas sobre o projeto, oferecer cursos de capacitação, realizar reuniões, entre outras atribuições. O Escritório Local do Caximba (ELO) será um plantão permanente da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) à disposição da população.

“Com a implantação do Escritório Local os cidadãos vão contar com uma fonte confiável de informações dentro do bairro, com técnicos preparados para esclarecer todos os detalhes do projeto que vai melhorar a vida das famílias da Vila 29 de Outubro”, explica o presidente da Cohab, José Lupion Neto.

Localizado na Rua Delegado Bruno de Almeida, 8.080, o ELO servirá para diversas ações previstas no cronograma do plano de reassentamento aprovado pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Com uma equipe multidisciplinar, o imóvel de 260 m² de área construída funcionará como um canal direto de comunicação entre a Prefeitura e moradores.

Ações

Compromisso assumido pelo prefeito Rafael Greca desde o primeiro ano de mandato em 2017, o projeto Bairro Novo do Caximba promoveu diversas ações nestes quatro anos para possibilitar o início da intervenção física, prevista para o segundo semestre de 2021. Para obtenção dos recursos junto à AFD foi elaborado um completo cronograma de realizações, que incluem as etapas documentais de transferência de toda a área para o município e o trabalho de mapeamento da vila e cadastramento das famílias.

Em agosto de 2020, a Prefeitura de Curitiba e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) formalizaram o financiamento para o Projeto Gestão de Risco Climático Bairro Novo do Caximba. Serão € 47,6 milhões (Euros) em investimentos, dos quais € 38,1 milhões da AFD e € 9,5 milhões em contrapartidas do município.

No projeto e na execução de obras, o projeto deverá gerar 14 mil empregos em Curitiba, entre diretos (4.380), indiretos (2.336) e induzidos (7.300). Iniciada há quatro anos, a intervenção socioambiental vai ordenar e regulamentar a ocupação existente, bem como minimizar o impacto ambiental para garantir a recuperação e preservação ambiental e a qualidade de vida da população.

Para possibilitar a elaboração do projeto foi necessário mapear e cadastrar as famílias moradoras, a fim de delimitar o número de beneficiados, o que foi realizado em 2017, quando foram identificadas 1.693 famílias. Os recursos disponibilizados e o projeto elaborado levaram em conta este número.

Em 2018, a Cohab promoveu o remanejamento de famílias da parte final da ocupação. Em maio daquele ano foram transferidas 70 famílias e em dezembro outras 20. Os beneficiados foram para moradias provisórias, porém longe do risco de alagamentos.

A área de beira de rio desocupada após a transferência das famílias recebeu em outubro de 2018 o plantio de 120 mudas de árvores para a recuperação ambiental. Em agosto de 2019, técnica ambiental da Cohab mobilizou os moradores para avaliação clínica de cães e gatos por meio da Rede de Proteção Animal.

Participação popular

Desde 2018 o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e a Cohab estão próximos da comunidade, com a realização de visitas domiciliares, reuniões de apresentação do projeto, consulta pública, atendimentos e plantões, com objetivo de manter a população local bem informada sobre o andamento do projeto.

Dada a importância da participação e envolvimento da comunidade nas ações, todos os moradores e lideranças da Vila 29 de Outubro foram convidados para as reuniões realizadas, nas quais puderam opinar e sanar dúvidas referentes à intervenção. A eficácia para atingir os objetivos do projeto depende da participação ativa e plena das famílias beneficiárias.

Antes de elaborar o projeto e buscar os recursos, a Cohab percorreu a vila, em 2017, para contabilizar o número de famílias que seriam incluídas na intervenção. Foram cadastradas 1.693 famílias – das quais 1.147 serão transferidas para novas casas construídas dentro da própria vila e 546 receberão obras de infraestrutura, pavimentação de vias, restruturação urbana e as escrituras de propriedade dos terrenos.

A partir de então foram realizados cerca de 20 encontros entre representantes da Prefeitura e a comunidade, como reuniões de apresentação do projeto e consultas públicas – outra exigência da AFD para buscar junto aos moradores informações que pudessem promover ajustes no andamento do projeto.

Como parte das ações do Trabalho Social, será realizada a atualização dos cadastros e levantamento das famílias que excedam o quantitativo inicial. Também está prevista a eleição de uma Comissão de Representantes da comunidade, para a qual todos os interessados poderão candidatar-se, e que funcionará como mediadora entre a comunidade e órgãos responsáveis.

SCMS

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.