AraucáriaEntretenimento

Palco Giratório traz oito apresentações culturais gratuitas a Araucária

A Prefeitura firmou uma parceria com o SESC e traz a Araucária o Palco Giratório, que circula por todo o país com apresentações culturais gratuitas. São oito espetáculos, entre julho (dia 31) e agosto (dias 02, 06, 07, 08, 13, 16 e 23) no Teatro da Praça (Rua São Vicente de Paulo, nº 1091 – Praça do Seminário. Telefone: 3901-5213).

Confira a programação:

Proibido elefantes (Rio Grande do Norte) / DANÇA

“Proibido elefantes” é um espetáculo que fala do olhar como via de acesso, porta de entrada e saída de significados. O modo como percebemos a “realidade” é resultante do diálogo que estabelecemos com esta: nosso olhar é constituído pela realidade assim como a realidade é constituída pelo nosso olhar – a construção do sentido transita em via de mão-dupla. O olhar enquanto apreensão subjetiva do mundo é, neste trabalho, apontado como elemento potencializador do sujeito diante do mesmo. Proibir elefantes é restringir o acesso, impedir o livre trânsito do animal que serve como meio de transporte na Índia, mas que causaria enormes transtornos em outras localidades. Proibir elefantes, neste espetáculo, é proibir o olhar que ressalta as limitações, os impedimentos; que duvida da capacidade do sujeito frente à adversidade. Proibir elefantes, aqui, é apostar no olhar do sujeito sobre si e sobre o mundo em que vive como elemento ressignificador e instaurador de realidade.

Classificação: 14 anos

Duração: 55 minutos

Serviço: dia 31/07, às 20h

EXU, a boca do universo (Bahia) / DRAMA CÔMICO

“EXU, a boca do universo” é um espetáculo de celebração à vida. O espetáculo narra sem compromisso cronológico momentos em que Exu se mostra diferente daquilo que tanto se pregou na cultura ocidental sobre o orixá que rege a comunicação e a liberdade no candomblé. Optando por uma dramaturgia músico-poética, pela encenação onde atores que se personificam sobre as diversas concepções do orixá Exu, o humano e o divino se entrelaçam na celebração à condição de estar vivo. Exu em suas várias facetas se mostra no espetáculo como alguém que valoriza o movimento da vida, do falar ao agir, do pensar ao sentir.

Classificação: 18 anos

Duração: 70 minutos

Serviço: dia 02/08, às 19h

Nordeste: A Dança do Brasil (Pernambuco) / DANÇA

“Nordeste: A Dança do Brasil” é um retrato em movimento da riqueza cultural que vem desta região do país, marcada por um intenso processo de hibridização. Os quatro ciclos festivos da Metodologia Brasílica instituída pelo Balé Popular do Recife estão presentes em um espetáculo de cor, brilho e beleza. Danças típicas do Carnaval, do São João, do Natal, e expressões de origem afroameríndia compõem o repertório dessa obra, que marcou a consolidação da linguagem original em dança que o Balé criou, baseada nas manifestações da cultura popular nordestina. Frevo, Maracatu, Caboclinhos, Ciranda, Xaxado e Guerreiro são apenas alguns dos ritmos do espetáculo.

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Serviço: dia 06/08, às 20h

Criaturas de Papel (Ceará) / TEATRO DE ANIMAÇÃO

“Criaturas de Papel” é constituído a partir de duas técnicas principais que fundam a cena: a bricolagem e o teatro negro. Ambas as técnicas foram estudadas e experimentadas, resultando na construção de um estilo de marionetes bricoladas. Neste espetáculo, o branco contrasta com fundo negro, evidenciando o material usado, no caso, o papel. A ação cênica se dá a partir de um refinado processo de animação das marionetes, inspirado no trabalho do grupo japonês kawasemiza, em que dois ou três marionetistas animam o mesmo boneco. Essa forma enriquece os movimentos, ampliando a margem de expressividade e atuação das marionetes.

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Serviço: dia 07/08, às 20h

O Intrépido Anãmiri (Ceará) / INFANTIL

“O Intrépido Anãmiri” é um espetáculo feito com Marionetes de Manipulação Direta, inspirado na técnica japonesa “Bunraku”, em que os marionetistas animam o boneco, conferindo-lhe movimentos humanos e precisos. Essa técnica permite ampliar a expressividade cênica e proporciona ao público a impressão de que estão soltos e que têm vida própria. A história identifica-se perfeitamente com o mundo infantil, numa relação com os personagens fantásticos da fauna e flora brasileiras. Rica de cores e fantasias, com cenas surpreendentes de efeitos e truques, combinadas a uma estética refinada de manipulação de bonecos, movimento, luz e som, temos bonecos vivos em cena, que transportam crianças e adultos para um mundo mágico.

Classificação: livre

Duração: 55 minutos

Serviço: dia 08/08, às 15h

Nina, o monstro e o coração perdido (Rio Grande do Sul) / INFANTO JUVENIL

“Nina, o monstro e o coração perdido” conta a história de uma menina que se desfaz do seu coração para não mais sentir tristeza. É um texto delicado e poético, que fala sobre a necessidade de lidar com os sentimentos. Para abordar esse assunto de forma dinâmica e encantada, a peça ora utiliza a linguagem de contadores de histórias, ora a própria encenação da jornada de Nina e dos percalços do seu amigo Monstro em busca do coração perdido. A amizade e o comprometimento dos personagens são uma valorização das relações.

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Serviço: dia 13/08, às 15h

Boi de Piranha ( Rondônia) / DRAMA

“Boi de Piranha” é um tema e uma analogia. Perpassa por dados históricos e afetos relacionados à construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré “Ferrovia do Diabo” e a Batalha da Borracha no norte do Brasil e a analogia acontece através da ideia do boi dentro da pecuária que é o animal escolhido, geralmente por ser o mais velho ou doente, para ser abatido e entregue às piranhas para o restante do rebanho passar. O migrante nordestino assume essa figura sacrificial dentro do espetáculo transformando-se num Super-Homem que cruza o País para sobreviver e para salvar.

Classificação: 14 anos

Duração: 35 minutos

Serviço: dia 16/08, às 19h

Guerra, formigas e palhaços (Rio Grande do Norte) / TRAGICOMÉDIA

“Guerra, formigas e palhaços” conta a história de dois militares, últimos remanescentes de um batalhão de combate, que se encontram perdidos em uma guerra. Ao tenente e ao soldado cabe agora a tarefa de defenderem o pequeno território ainda não tomado pelas forças inimigas. Os dois sabem que a única forma de saírem vivos da situação é a possível chegada de reforços. Porém, quando todas as saídas parecem se fechar, um fato inusitado acontece: o batalhão de dois homens finalmente se depara, estupefato, diante daquele que pode carregar o último fio de esperança.

Classificação: 12 anos

Duração: 60 minutos

Serviço: dia 23/08, às 19h

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.