ParanáPolícia

Padrasto mata menino de três anos e liga para mulher pedindo desculpas

Um crime chocante e que é de difícil explicação para todos os envolvidos. De forma brutal, um menino de três anos morreu na noite desta quarta-feira (5) após ser espancado pelo padrasto na zona rural de Mandirituba, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a polícia, a mãe levou o menino até o pronto-socorro municipal da cidade por volta das 20 horas, mas a criança já não apresentava sinais vitais.

De acordo com o tenente Pedro, da Polícia Militar, a mãe inicialmente contou que o filho havia sofrido uma queda, o que não condizia com os hematomas. “Como a história não convenceu, ela confessou que o atual marido é quem teria provocado as agressões e fugido. Até o momento ela não sabe para onde ele foi”, comentou.

Buscas para tentar localizar o suspeito já foram iniciadas, mas até o momento ele não foi encontrado. O nome do padrasto ainda não foi divulgado para não atrapalhar as investigações.

Ainda segundo o tenente, o suposto autor do crime entrou em contato com a mãe da vítima na manhã desta quinta-feira (6) para pedir desculpas. “Acreditamos que não foi a primeira vez que ele fez isso, já que até marcas de abuso sexual foram encontradas. Ele fez a ligação e garantiu que não tinha a intenção de matar o garoto”, disse.

A mãe foi encaminhada para a Delegacia de Fazenda Rio Grande para outros esclarecimentos. A Polícia Civil investiga o caso.

BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.