Paraná

Oposição faz nova proposta de reajuste para servidores

noticia_618160_img1_3f1A bancada de oposição na Assembleia Legislativa apresentou ontem à liderança do governo na Casa uma nova proposta de reajuste salarial para o funcionalismo público estadual – na tentativa de encontrar uma saída para o impasse entre servidores e Executivo -, em especial os professores, cuja greve já dura 35 dias. Pela nova fórmula imaginada pelos deputados, o governo pagaria R$ 3,45% de aumento em outubro, e outros 4,56% em dezembro, zerando ainda em 2015 as perdas inflacionárias de 8,17% do período.

Na semana passada, o Fórum das Entidades Sindicais (FES) e a APP-Sindicato rejeitou proposta do governo que previa o pagamento de 3,45% divididos em três vezes entre setembro e novembro deste ano, e outros 8,37% em janeiro de 2016, além da mudança da data-base do funcionalismo de maio para janeiro.
A nova proposta tem a vantagem de atender algumas das exigências dos servidores – a de que as perdas inflacionárias de maio de 2014 a abril de 2015 sejam zeradas ainda este ano. E a manutenção da data-base em maio.
O líder governista na Casa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) disse que levou a proposta ao governador Beto Richa (PSDB), que ficou de analisá-la. “Estou esperançoso. O governador reafirmou o desejo de encontrar uma solução”, disse ele, afirmando que uma nova reunião aconteceria, ainda na noite de onte, com secretários da área econômica, e uma resposta ou uma contraproposta deveria sair até hoje. O problema é saber se o governo vai aceitar essa ideia, já que até a semana passada o discurso é que a inflação só poderia ser zerada no ano que vem porque não haveria para pagar o reajuste agora. “Obviamente tem que ser analisada a capacidade de pagamento do Estado, que tem uma situação financeira muito difícil”, avaliou, dizendo que o impacto da nova proposta nos cofres do Estado este ano seria de R$ 108 milhões.
O peemedebista confirmou que nada será votado até que haja alguma possibilidade de acordo. “Não adianta os deputados fazerem emendas ou o governo mandar um novo projeto, enquanto elas não forem aprovadas pelas as assembleias dos servidores”, explicou Romanelli, que hoje deve se reunir com o Fórum das Entidades Sindicais (FES) para discutir o assunto.
O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), disse que não vai colocar nenhuma proposta de reajuste salarial do funcionalismo – incluindo de outros poderes, como Tribunal de Justiça e Ministério Público – até que haja um acordo entre o Executivo e o funcionalismo estadual. Tanto no caso do TJ como do MP, a previsão é de reajuste de 8,17% com pagamento retroativo a maio.

Rápida

Pressão
Enquanto não há acordo, os servidores mantêm a pressão sobre os deputados para que a Assembleia não aprove a proposta apresentada pelo governo na semana passada. Manifestantes promoveram vigílias em frente a residências de parlamentares governistas, como o presidente da Assembleia, Ademar Traiano; Alexandre Curi (PMDB), em Curitiba, e deputados do interior do Estado. Eles também ocuparam as galerias do plenário do Legislativo na sessão de ontem, gritando palavras de ordem pela reposição.
Do outro lado, o governo iniciou processo de contratação de professores temporários, para substituir os grevistas. “Não adianta o governo colocar mais ‘lenha na fogueira’. É preciso que se apresente uma proposta plausível que dê para negociar”, disse o líder da oposição, deputado Tadeu Veneri (PT).

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.