Saúde

ONU diz que precisa de U$ 665 milhões para evitar novas epidemias

Os transtornos causados pela pandemia de covid-19 nas campanhas de imunização contra o sarampo e a poliomielite deixaram milhões de crianças vulneráveis ao risco de doenças mortais e debilitantes, alertaram agências da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira (6).

Em um pedido de financiamento urgente para evitar epidemias das doenças contagiosas, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que 665 milhões de dólares são necessários para tratar de “disparidades de imunidade perigosas” em países pobres e de renda média.

“Não podemos permitir que a luta contra uma doença mortal nos faça perder terreno na luta contra outras doenças”, disse a diretora-executiva do Unicef, Henrietta Fore, em um comunicado.

Fore disse que os 665 milhões se dividem em 400 milhões para a pólio e 255 milhões para o sarampo.

O sarampo, uma das doenças mais contagiosas de que se tem conhecimento, ressurgiu nos últimos anos, e existem surtos em andamento em todo o mundo.

As defasagens na vacinação foram ainda mais exacerbadas em 2020 pela Covid-19, e a OMS disse que dados sobre as taxas de mortes de sarampo de 2019, que devem ser divulgadas na semana que vem, “mostrarão o fardo negativo contínuo que os surtos constantes estão causando”.

Agência Brasil

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.