Paraná

Ônibus circulam normalmente, mas podem acontecer manifestações

Os motoristas e cobradores de ônibus decidiram, no final da tarde desta quarta-feira (7), dar um “voto de confiança” para a prefeitura e suspender a greve marcada para começar na madrugada de quinta-feira (8). A decisão aconteceu algumas horas após o presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Roberto Gregório, anunciar que a Prefeitura abriu um crédito adicional de R$ 3,8 milhões, por meio do Fundo de Urbanização, para o pagamento dos repasses atrasados às empresas. Nesta manhã, os ônibus circulam normalmente em Curitiba, mas há possibilidade de manifestações pontuais no Centro de Curitiba durante a manhã de hoje.

IMG-20150107-WA0012

De acordo com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba (Sindimoc), os trabalhadores irão esperar a quinta-feira (8) e, caso não aconteça o pagamento, podem parar na sexta. “Amanhã vamos realizar um grande ato, porque não podemos esperar que essa situação ocorra todos os meses. Estamos dando um voto de confiança e esperamos que tudo ocorra como prometido”, disse.

No microblog twitter, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), falou sobre a medida tomada. “Acabo de assinar decreto autorizando repasse de R$ 3,8 milhões para q empresas de ônibus paguem em dia o salário de cobradores e motoristas.Fundamental evitar q trabalhadores fiquem sem receber vencimentos, q motivaria paralisação sistema transporte, gerando prejuízo p/ todos. Seguimos nas tratativas para que o Governo do Estado efetue o pagamento dos passivos do convênio vencido em 31 de dezembro”, informou.

Segundo o presidente da Urbs, as empresas urbanas irão receber o pagamento até as 14 horas, mas as metropolitanas ainda dependem do repasse da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), já que o convênio acabou com a prefeitura no último dia 31 de dezembro. “Queremos garantir tranquilidade ao morador da capital. Já conversei com o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, e ele se mostrou muito receptivo ao repasse”, disse.

Posição do Governo do Estado

Em nota, o Governo do Estado disse que trabalha pela manutenção da Rede Integrada de Transporte (RIT), uma conquista histórica de Curitiba e Região Metropolitana;

Em outubro de 2014, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC) encaminhou ofício à URBS manifestando, de forma clara e objetiva, a intenção de manter o convênio que garante a integração do transporte coletivo;

O convênio deverá ser renovado com base na Pesquisa de Origem e Destino feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP). A pesquisa indicou que o custo por passageiro metropolitano é inferior ao que afirmava a Prefeitura de Curitiba, o que diminui o valor do subsídio;

O Governo do Estado honrará todas as parcelas definidas pelo convênio de 2014, como tem feito desde 2012, quando foi implantado o subsidio;

De 2012 até agora, o Governo do Estado já repassou mais de R$ 177 milhões à Rede Integrada de Transporte Coletivo de Curitiba e Região Metropolitana em forma de subsidio. Além disso, há a isenção de ICMS para o óleo diesel dos ônibus, implantada pelo Governo do Estado em 2013;

A COMEC ainda aguarda que a URBS encaminhe a planilha com o saldo do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), fundo público usado para operacionalização dos serviços de transporte, solicitada em 2014.

O Governo do Estado renova a intenção de manter o diálogo com a Prefeitura de Curitiba para a manutenção da Rede Integrada de Transporte.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.