Araucária

No terceiro dia de greve frota mínima não atinge 50% de ônibus em circulação, diz Urbs

O terceiro dia de greve dos ônibus em Curitiba e Região começou nesta sexta-feira (17) com apenas 23% da frota circulando, informou a Urbs por volta das 6h30. Por volta das 7h20 o índice subiu para 29% e depois, às 8 horas, chegou a 40%, e por volta das 11 horas voltou a 37%. Assim, no horário de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h), não foi cumprida a frota mínima de 50% dos ônibus circulando como determinou a justiça. Ontem, o índice ficou em torno de 40 % da frota, disse a Urbs, também abaixo do que foi estabelecido. O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus (Sindimoc) e o Sindicato da Empresas de transporte (Setransp) não se manifestaram hoje sobre o índice de frota abaixo do mínimo estabelecido.

Após uma reunião ‘desanimadora’ com representantes da URBS, na tarde desta quinta-feira (15), motoristas e cobradores decidiram continua em greve nesta sexta-feira (16) e sem prazo para que ela termine. “Saímos preocupados com o que nos foi apresentado pela URBS. Foram nos passadas informações financeiras que deixam claro que teremos problemas pela frente. Permanecemos em greve e cumprindo a decisão judicial”, disse Anderson Teixeira, presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus (Sindimoc), confirmado que os trabalhadores seguirão cumprindo a frota mínima de 50% no horário de pico e 40% no restante do dia..

Na tarde de ontem, motoristas e cobradores foram até a porta da URBS cobrar da autarquia participação nas negociações do dissídio coletivo da categoria. “Os empresários estão apáticos à realidade dos trabalhadores e a Urbs não se posiciona. A única coisa que ela fez foi pedir frota mínima e multa. Hoje a população está rodando com 50% da frota e isso não é suficiente para o trabalhador. Queremos sensibilidade para que venham a cobrar uma atitude dos empresários”, disse Teixeira pouco antes da reunião, que teve até uma ‘Vi nada’ dentro de um ônibus do transporte coletivo.

Reunião marcada

Se antes não se via possibilidade de um acordo, agora as coisas mudaram um pouco. Nesta sexta-feira (16) está confirmada, para as 15h, uma reunião entre os representantes dos trabalhadores e das empresas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Durante a tarde, o presidente da URBS, José Antônio Andreguetto justificou em entrevista ao radialista Geovane Barreiro, da Banda B, a ausência da Urbs nas negociações. “A negociação é entre empregado e empregador e a Urbs não é nenhum dos dois, então não é um desprestígio. As empresas são contratadas para prestar serviço, mas estamos fazendo todos os esforços para que tudo retorne ao normal. A única coisa que não estamos à disposição é para aumentar o repasse para as empresas”, afirmou.

O presidente da Urbs ainda pediu um voto de confiança à categoria e voltou a afirmar que pegou uma gestão “quebrada”, com uma dívida de R$ 67 milhões, sendo necessário o reequilíbrio financeiro. Andreguetto ainda afirmou aos trabalhadores que, desde o ano passado, a Urbs não pagava PIS/Cofins aos seus trabalhadores e ficou meses sem pagar a conta de luz da Rodoferroviária de Curitiba.

Sobre as reivindicações, Teixeira disse que os trabalhadores recebam de reajuste o mesmo índice do aumento da tarifa. “Ofereceram apenas 5% aos trabalhadores, também queremos saber quem vai ficar com os demais”, concluiu.

Frota

De acordo com a Urbs, apenas 40% da frota circulava por volta das 17h30. Neste horário, segundo determinação do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, a frota deveria ser de 50%.

 

BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.