Paraná

Motoristas pedem providências da concessionária na Rodovia do Xisto

Por Alexsandro Wojcik / Jornal Marca

O trecho da Rodovia do Xisto entre Contenda e Lapa vem ganhando fama na região pelo número de acidentes envolvendo, principalmente, veículos de carga. Especialmente nas proximidades dos KM’s 179, 180, 181 e 182, onde ocorreu o acidente da última sexta (24), que matou quatro pessoas, curvas sinuosas formam uma verdadeira armadilha para motoristas desatentos e que não conhecem bem a pista. Só no KM 179 tombaram duas carretas recentemente.

Um dos acidentes deixou uma vítima fatal no dia 24 de junho, quando uma Scania – placas do Rio Grande do Sul – carregada com rodas de automóveis tombou no trecho de curva fechada existente no local, onde uma mulher morreu na hora. Uma semana depois, no dia 02 de julho, tombou uma Volvo FH 400, também com placas de Rio Grande do Sul. Ela transportava cebola e viajava sentido Lapa. O motorista não se feriu. No dia 29 do mesmo mês, o KM 180 venceu uma bitrem que transportava óleo vegetal.

O motorista dirigia uma Volvo FH 440, com placas de Santa Catarina, e teve ferimentos leves. Já o KM 181 deu um susto em um caminhoneiro natural de União da Vitória, que saiu da pista na terça-feira, 07 de julho, quando seguia com destino a Curitiba. Ele viajava durante a madrugada e não venceu fazer a curva com uma Volvo truck, que acabou saindo da pista, mas por sorte não tombou. Por fim, na última sexta, a batida entre um Vectra, um Pálio e uma carreta Scania no KM 182 matou quatro pessoas, todas ocupantes do Vectra, que iam para um aniversário e tinham entre 21 e 25 anos.

O veículo seguia sentido Curitiba quando se perdeu na curva, invadiu a contra mão e atingiu a carreta que seguia sentido Lapa de frente. O Palio seguia atrás do Vectra, não conseguiu frear e bateu contra o mesmo logo depois. A pista simples é sinuosa no local, o limite de velocidade é de 60 quilômetros por hora e chovia no momento do acidente.

A PRF constatou ainda que os pneus traseiros do Vectra estavam bastante desgastados e essa pode ser uma das causas do acidente. “É comum presenciar acidentes e quase acidentes nesta rodovia. O trecho é pedagiado e a concessionária deveria tomar providências. O ideal seria a correção destas curvas mais perigosas, mas se a concessionária acha isso inviável ou tem alguma dificuldade em fazer isso, um radar ou lombada eletrônica já ajudaria.”, comentou o comerciante Evandro Baggio

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.