Araucária

Inquilinos são os assassinos de mulher queimada e esquartejada em Araucária

suspeitosPolícia Civil

Policiais civis da Delegacia de Araucária, da Divisão de Polícia Metropolitana (DPMetro), prenderam, na última sexta-feira (20), o casal responsável pelo assassinato de Maria Aparecida Vechia, 55 anos, no último dia 11, na casa da vítima, na Rua Alagoas, no Jardim Fonte Nova. O corpo da vítima foi encontrado esquartejado e queimado. Mariane Pianovski, 21 anos, e Alisson Campolim dos Santos, 25 anos, foram presos graças ao cumprimento de mandados de prisão preventiva emitidos pela Justiça local.

Segundo o delegado-titular da Delegacia de Araucária, Guilherme Maurício Wall Fagundes, na data do crime, estranhando o fato de a vítima não ter comparecido ao seu trabalho como de costume, uma colega tentou contato por diversas vezes com ela, sem sucesso. “A amiga foi até a residência onde a vítima morava, porém não conseguiu contato com a mesma, pedindo então para um vizinho verificar se Maria Aparecida estava em sua residência. Tal vizinho pulou o muro da casa e então, ao se aproximar da porta, sentiu cheiro de gás e de algo queimando no local, solicitando aos bombeiros para que verificassem o que ocorria”, contou o delegado. Os bombeiros ventilaram a casa e arrombaram a porta, localizando a mulher morta sobre a cama, com partes de seu corpo queimadas e com suas pernas cortadas pouco abaixo do joelho.

Investigação
Após conhecimento do crime, a equipe da delegacia iniciou diligências e oitivas, ouvindo parentes, vizinhos e amigos, bem como inquilinos da vítima. “Isso causou estranheza à equipe de investigação, já que o casal inquilino alegou não ter visto nem ouvido nada, mesmo residindo no mesmo imóvel em que a vítima”, contou a chefe de investigações da Delegacia de Araucária, Elsira Wagner Antônio.

A equipe teve acesso a imagens de câmeras de vigilância de uma empresa vizinha. Elas foram analisadas, e após o estudo das mesmas e face as declarações dos inquilinos, a equipe constatou fatos inverídicos quanto aos horários de chegada e saída, tanto do casal quanto da vítima. “E também constatou que nenhuma outra pessoa qualquer entrou ou saiu da residência”, destacou Elsira.

Diante dos fatos, foi solicitado então um exame complementar, a ser realizado na residência dos inquilinos, pelo Instituto de Criminalística, que usou o reagente “Luminol”. “Nos cômodos do casal havia manchas de sangue, assim como na fechadura de acesso ao cômodo da vítima e no banheiro que era usado exclusivamente pelos inquilinos”, contou a chefe de investigação.

Diante das evidências, o delegado Ari Nunes Pereira, que é titular em Campo Largo e está cobrindo férias em Araucária, solicitou mandado de prisão contra o casal de inquilinos, que se encontram custodiados à disposição da Justiça.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.