Araucária

Guardas de Araucária “velam” por mais de 4 horas homem que teve morte natural; Destino do corpo é incerto

guardasDo Portal BandaB

Dois guardas municipais de Araucária estão desde as 3h20 desta terça-feira (28) velando o corpo de um homem, sem identificação, que sofreu uma morte natural. O Instituto Médico Legal de Curitiba (IML) alegou que não pode recolher vítimas sem ferimentos e, por sua vez, o serviço funerário de Araucária afirmou aos guardas não tem como recolher, uma vez que a cidade não dispõem de um necrotério próprio.

Enquanto isso, os guardas Felipe e Cordeiro permanecem ao lado da vítima, na Rua Águia com a Avestruz, no bairro Jardim Industrial. “O IML chegou aqui e se recusou a recolher o corpo. Agora para liberar, apenas se um parente dele aparecer, o que não parece provável, porque ninguém o conhece”, descreveu o guarda Felipe.

A informação é que o rapaz vivia perambulando pelas ruas da região e ontem à noite começou a passar mal. “Quando passávamos aqui encontramos o rapaz caído na calçada e estamos desde aquela hora aqui. Não sei como esse impasse vai se resolver. Os moradores também estão indignados”, disse.

A Banda B aguarda a solução para o imbróglio. Até o fechamento desta reportagem, os guardas permaneciam velando o homem sem identificação. A reportagem vai procurar a Secretaria de Saúde do município para uma solução para o caso.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.