Brasil

Funcionários dos Correios aprovam indicativo de greve para dia 17

Correios-Edital-de-abertura-em-março-ou-abril-de-2014

Mais uma categoria deve entrar em greve nas próximas semanas. Os trabalhadores dos Correios vão parar as atividades no dia 17 de março, caso o Governo Federal não recue de decisões importantes, como a que torna a estatal uma empresa privada. O indicativo de greve foi aprovado na sexta-feira em assembleias em Curitiba, Londrina, Cascavel, Ponta Grossa e Maringá. O maior ponto da discórdia é a implantação do CorreiosPar, uma subsidiária da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. De acordo com um dos diretores do sindicato dos trabalhadores, Wilson Dombrovski, esta empresa privada pode afetar a contratação de mais servidores.

A parceria dos Correios com empresas privadas não é novidade. Hoje em dia, o Banco Postal é operado pelo Banco do Brasil. Antes, quando foi criado, tinha parceria com o Bradesco. No ano passado, o Ministério das Comunicações aprovou a parceria da ECT com uma operadora italiana de telefonia, mas o negócio não foi para frente. Outro pedido dos trabalhadores é a reestruturação do serviço de atendimento de saúde dos Correios.
Os trabalhadores pedem, ainda, o aumento da estrutura de segurança nas agências dos Correios. Segundo eles, algumas funcionam quase como um banco, com grande circulação de dinheiro.

Enquanto isso, o comando nacional de greve segue negociando com a ECT, em Brasília. Caso os Correios não recuem de algumas propostas, a greve será deflagrada em todo o país.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.