EntretenimentoMundo

Fazer ‘maratonas’ de séries com frequência pode indicar solidão e depressão

estadao_conteudo_cor

 

Com o aumento dos serviços de streaming e de plataformas de vídeos na internet, assistir a séries é cada vez mais fácil. É possível assistir na televisão, no computador ou até mesmo no celular, vários episódios de uma vez. Porém, você sabia que fazer ‘maratonas’ com frequência pode indicar sinais de depressão e solidão? É o que indica um estudo da Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

Um estudo, realizado com 316 jovens de 18 a 29 anos, mostrou que o hábito se transforma em um vício, já que o indivíduo permanece assistindo a episódios em sequência, mesmo se tiver de fazer outras tarefas. E as maratonas de séries são mais comuns do que se imagina. Por exemplo: segundo pesquisa da Netflix de junho deste ano, 54% dos entrevistados planejavam fazer uma maratona das temporadas passadas de Orange is The New Black antes da estreia na nova fase.

Fazer maratona de episódios é um hábito corriqueiro para a estudante Gabriella Ramos, de 19 anos. “Quando não tenho nada para fazer ou quando vejo que saiu nova temporada de alguma série que eu gosto, eu sento e assisto durante horas. Já fiz, inclusive, maratona de uma série que já assisti e que gostaria de rever”, lembra.

Ao ser questionada sobre a indicação de sinais de depressão, de acordo com a pesquisa, a estudante relatou que a prática das maratonas de séries é comum entre os amigos. “A grande maioria dos meus amigos faz o mesmo, pois é uma coisa mesmo da nossa idade. Não acho que tenha algum problema”, comenta.

De acordo com Lívia Vieira, psicóloga do Hapvida Saúde, as maratonas desse tipo se tornam preocupantes a partir do momento em que o indivíduo demonstra alteração no comportamento, recusa a socialização com os familiares e amigos e resume sua vida e seus assuntos às séries. “Quando a fissura por assistir às séries começa a alterar o sono, provocar insônia e alterar o humor, por exemplo, passa a ser necessária as investigações”, alerta a especialista.

Lívia ressalta que, além de indicar sinais de depressão e solidão, as maratonas podem também estimular a obesidade, já que alguns indivíduos têm a prática de assistir televisão comendo, e também o sedentarismo, pois as pessoas passam muito tempo sentadas ou deitadas em frente à TV.

A psicóloga indica que, ao notar os sintomas em alguém próximo, é preciso procurar ajuda especializada. “O primeiro passo é o diálogo, conversar com o indivíduo sobre suas alterações, tentar ocupá-lo, distraí-lo, fazê-lo recordar os outros prazeres da vida. Se não obter resultado favorável, é necessário encaminhar o indivíduo para profissional competente como psicólogo e psiquiatra”, explica Lívia.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.