Mundo

EUA executa a primeira mulher depois de quase 70 anos

Lisa Montgomery foi condenada por matar, remover da barriga e roubar o bebê de uma mulher grávida no Missouri

Depois de quase quase 70 anos sem nenhuma execução o governo federal dos Estados Unidos executou, nesta quarta-feira (13), uma mulher condenada por um crime de assassinato. Essa é a primeira vez desde 1953. Ela era a única mulher no corredor da morte.

Lisa Mongomery, 52 anos,  foi executada com injeção letal em Terre Haute, Indiana, após ser condenada em 2007 por sequestro que resultou em morte.  Em 2004, ela estrangulou fatalmente Bobbie Jo Stinnett, de 23 anos, que estava grávida de oito meses na época. Enquanto Stinnett estava morrendo, Montgomery pegou uma faca de cozinha, cortou sua barriga e sequestrou o bebê . O corpo de Stinnett foi encontrado horas depois por sua mãe.

Esse é um dos últimos atos do governo de Donald Trump. O presidente, um defensor da pena de morte, ignorou uma petição de clemência apresentada por apoiadores de Lisa Montgomery.

Montgomery foi morta com uma droga letal, o pentobarbital. Antes de receber a injeção no braços, ela bateu os dedos nervosamente e fechou os olhos. Ela engasgou quando a substância entrou no seu corpo –sua barriga chegou a mexer, mas ela parou rapidamente.

Um funcionário com um estetoscópio entrou na sala, ouviu o coração e o pulmão de Montgomery e, à 1h31 (horário local), declarou que ela estava morta.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.