Mundo

Estudo revela a ‘rota’ do organismo para perder peso

perder-peso-rapidamente

Um grupo da Universidade Yale (Estados Unidos), com a participação de dois cientistas brasileiros, desvendou o funcionamento do processo molecular responsável pela transformação da indesejável gordura branca em gordura marrom – que dissipa a energia em forma de calor, favorecendo o emagrecimento. O estudo, publicado na revista científica Cell, confirmou que o processo é controlado pelo cérebro.

Em 2012, pesquisa havia descoberto que é possível transformar a gordura branca do organismo – considerada “ruim”, por acumular energia no corpo, levando à obesidade – em gordura marrom. O achado foi considerado importante para o desenvolvimento de tratamentos contra a obesidade, mas para isso faltava entender como o organismo comanda esse mecanismo biológico conhecido como “escurecimento de gordura”.

Agora, interferindo no cérebro de camundongos, com métodos biotecnológicos, os cientistas conseguiram estimular o processo de “escurecimento”, protegendo os animais da obesidade, mesmo quando submetidos a uma dieta gordurosa.

Segundo um dos autores do estudo, o gaúcho Marcelo Dietrich, professor de Medicina Comparativa e Neurobiologia de Yale, a pesquisa demonstrou que os mesmos neurônios que controlam a fome e o apetite no cérebro são responsáveis pelo “escurecimento” da gordura. “Desde a década de 80, acreditava-se que os neurônios AgRP estavam exclusivamente envolvidos com a regulação da fome. Mas nós suspeitávamos que eles tinham funções mais amplas e resolvemos investigar.”

Para estudar as funções do neurônio AgRP, Dietrich precisou desenvolver um avanço tecnológico capaz de ativá-lo e desativá-lo quando fosse preciso. Para isso, criou camundongos transgênicos que têm receptores de capsaicina – o princípio ativo da pimenta – nos neurônios AgRP, onde tais receptores não existem originalmente.

“Assim, basta injetar a capsaicina no animal para ativar aqueles neurônios. É praticamente uma técnica ‘wireless’, que permite injetar uma substância no tecido para ativar um grupo específico de células no cérebro.”

Com a injeção, segundo Dietrich, os neurônios AgRP são ativados e o animal reage como se tivesse sido submetido a um jejum: a fome aumenta, a temperatura corporal cai e – como o organismo percebe a necessidade de acumular energia – o processo de “escurecimento” da gordura é detido. Os animais começaram a engordar. “Com isso, identificamos a rota cerebral para a perda de peso.”

Gazeta do Povo

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.