Paraná

Estudantes de 9 a 10 anos de Curitiba criam Sony, o robô contador de histórias

Estudantes de 9 e 10 anos da Escola Municipal Marumbi, no Uberaba, criaram um robô contador de histórias, um dispositivo de aproximadamente 80 centímetros, que narra clássicos literários e produção de estudantes. O robô foi criado para ajudar a melhorar o trabalho de escrita e oralidade da turma.

A ideia nasceu durante uma oficina de robótica no Farol do Saber e Inovação Herbert José de Souza, anexo à escola. Para criar o robô, batizado como Sony, o grupo de 13 estudantes pesquisou mecanismos e tecnologias apropriadas para que ele pudesse andar, falar e interagir com crianças.

“Ele foi feito por muitas mãos, em vários momentos, e reuniu ideias que exigiram pesquisa, concentração e paciência”, conta o estudante Gabriel dos Santos Balbino, 10 anos.

A primeira versão do robô foi construída em papelão, mas a fragilidade do material exigiu uma nova estrutura. Os estudantes pesquisaram custos e eficiência e optaram por outro modelo, usando madeira em MDF. Na cabeça, instalaram um mecanismo composto por fitas de leds, para formar a boca, e placas de microbit para os olhos. Nos pés, um mecanismo elaborado usando peças lego permitem que o robô se locomova.

Criar a voz do robô também exigiu destreza e criatividade. Usaram uma caixa de som com bluetooth que reproduz as histórias que são gravadas pelos estudantes e mixadas para dar voz ao robô.

Nicholas Silva, 10 anos, foi o responsável pela programação e ajuste de voz do robô. “Eu busquei um software para mudar a nossa voz e dar o tom da de um robô. Para ficar adequado colocamos caixas de som no Sony. Foi tempo e pesquisa que me ajudaram a buscar esses recursos”, explicou o estudante.

Impressora 3D

A estrutura foi criada e prototipada usando a impressora 3D do espaço maker do Farol. O grupo fabricou peças que deram sustentação às partes do corpo de Sony. Também imprimiram enfeites para melhor apresentação da invenção.

“O projeto Robô Contador de Histórias é uma alternativa de utilização de recursos lúdicos e de robótica para despertar o gosto pela leitura e escrita dos estudantes”, explica a professora e idealizadora do projeto, Anaí Rodrigues.

“Construir algo que possa ajudar na leitura foi uma experiência desafiadora. Eu aprendi muito e confesso que anseio por mais agora”, conta a estudante Isabelle Bueno Silva, de 9 anos.

Adriano Silva, pai da Isabelle, ficou orgulhoso com o trabalho dos estudantes. “Não imaginei que a escola pública tivesse tanta inovação. Estou surpreso com ela e com as possibilidades de ensino do município”, disse Adriano.

“Este trabalho mostra que as possiblidades do conhecimento são infinitas, trazendo resultados que nem imaginávamos e que melhor preparam nosso estudantes para os desafios de um mundo cada vez mais tecnológico”, destaca a secretária municipal da Educação, Maria Silvia Bacila, durante a apresentação de Sony.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.