Paraná

Estado avalia potencial turístico em reservatórios artificiais

O secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, percorreu, nesta semana, as margens do Rio Paraná, no Oeste do Estado, para identificar potenciais de turismo em água doce.

A proposta é que o turista encontre nesses espaços um produto turístico, com infraestrutura, treinamento e capacitação de profissionais locais. De acordo com o secretário, o setor é uma mola mestra para a geração de emprego.

“O Paraná tem um grande potencial de água doce que pode ser explorada para o turismo. É um manancial de água limpa que, além de linda, tem uma temperatura agradável, acima de 25 graus”, destacou.

Nos encontros com a comunidade e os prefeitos, o secretário apresentou a Resolução Conjunta Sedest/IAT nº 023/2019, criada para normatizar projetos ambientais em áreas de preservação.

“Esta é uma possibilidade do Governo do Estado conhecer mais de perto os municípios, expor as ideias do poder público e ouvir as demandas de quem vive nas cidades”, disse.

Ele lembrou, ainda, que na semana passada visitou as Usinas Hidrelétricas existentes às margens do Rio Iguaçu e, nos próximos dias, a proposta é percorrer os destinos do Rio Paranapanema.

“Estamos em uma grande expedição pelos rios, conhecendo os reservatórios artificiais onde estão construídas barragens que geram energia. A ideia é usar esses locais para que também gerem emprego, renda, turismo, esporte e lazer, com o objetivo de melhorar a vida das pessoas”.

POTENCIAIS TURÍSTICOS 

No Estado, o Rio Paraná faz divisa com Mato Grosso do Sul (MS). O rio também separa os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de demarcar a fronteira entre Brasil e Paraguai, numa extensão de 190 km até a foz do rio Iguaçu

O Paraná é considerado o oitavo maior rio do mundo em extensão (4.880 km) até a foz do Estuário da Prata, e o maior da América do Sul, depois do rio Amazonas.

No município de Santa Helena, o secretário Márcio Nunes conheceu a estrutura do antigo Iapar/Emater (atual IDR), localizada na antiga Base Náutica do município. O local tem como proposta gerar conhecimento científico, desenvolver e transferir tecnologias e formar e capacitar profissionais para o desenvolvimento sustentável da agropecuária paranaense.

Em Itaipulândia, a visita foi na Base Náutica, cujo lago é polo de pesca esportiva. O local permite atividades de travessia de canoagem e vela, com atracadouro e rampa que facilitam o acesso de barcos.

Durante a visita na Prainha de Três Lagoas, em Foz do Iguaçu, foi discutida a proposta de criar uma nova infraestrutura e promover grandes eventos náuticos nacionais. O balneário, cedido pela Itaipu Binacional, possui 400 metros de orla e estrutura recepcionar os turistas, como camping, quiosques, churrasqueiras e estacionamento.

O secretário também visitou, nesta semana, a Base Pelotão Cobra BPFRon, em Entre Rios do Oeste; o Clube Náutico Toledo, em Marechal Cândido Rondon; o Balneário de Vila Yara, em Altônia; o acesso ao rio no Parque Nacional de Ilha Grande, em São Jorge do Patrocínio, local considerado como a prainha da cidade; o Porto Camargo e o Porto Novo em Icaraíma; e o Porto Figueira em Alto Paraíso.

AEN

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.