Paraná

DÚVIDA DE USUÁRIOS: Como pagar a passagem de ônibus após a desintegração?

Desde que a Rede Integrada de Transporte Metropolitano (RIT/M) sofreu a desintegração financeira, em fevereiro, muitos passageiros que se locomovem entre Curitiba e as cidades da região metropolitana ficaram confusos com as mudanças na forma de pagamento e alterações de trajetos.

A reclamação é geral. Um exemplo é da auxiliar de serviços gerais Marcelita Santos, 26 anos, que mora em Piraquara e trabalha no centro de Curitiba. Para chegar à capital, ela pega o expresso Pinhais – Rui linhas_pequenaBarbosa, pagando do bolso a tarifa em dinheiro. Para voltar para casa, ela precisa pegar o expresso no tubo da Praça Rui Barbosa. Ao contrário do que a Urbs havia informado, de que quem sai de Curitiba pode pagar com cartão da Urbs, este tubo específico aceita somente dinheiro ou vale da Metrocard. Nos tubos seguintes a este (Padre Manoel Virgílio de Souza, Paulo Kissula e Vila Nova), que ainda estão dentro de Curitiba, o cartão da Urbs é aceito normalmente.
Manobra

Como ainda não tem os vales da Metrocard, somente o cartão da Urbs, Marcelita e outros passageiros precisam fazer uma “manobra”. Vão até o tubo do lado e pegam o expresso Centenário. Quando chegam no terminal Capão da Imbuia, desembarcam e pegam o expresso Pinhais – Rui Barbosa (ou o ligeirinho Pinhais – Campo Comprido). Mas, por isto, a linha Centenário, que já era cheia, passou a circular lotada em vários momentos do dia. Também, o ligeirinho Pinhais – Campo Comprido teve uma diminuição na quantidade de veículos. “Antes, tinha ligeirinho que fazia exclusivamente o trajeto do Capão da Imbuia para Pinhais, não ia até o Campo Comprido. Era bom, porque o ônibus saía vazio do Capão da Imbuia. Agora não tem mais este ônibus extra. Então já chegam aqui no Capão da Imbuia lotados e às vezes não dá nem pra entrar”, lamentou Marcelita.

Diferença da integração

Nas linhas integradas, o usuário paga uma única tarifa e utiliza vários ônibus, quantos necessários. O valor é R$ 3,30. Se o usuário estiver saindo de Curitiba em direção à região metropolitana, pode pagá-la em dinheiro ou com o cartão da Urbs. A exceção é o tubo Praça Rui Barbosa, que abriga a linha Pinhais – Rui Barbosa. (Leia matéria principal). Saindo das cidades metropolitanas, o usuário paga com dinheiro ou vale de papel da Metrocard (foto).

As linhas não integradas são as que o usuário paga novamente a tarifa em cada ônibus que embarcar. Tanto na ida, quanto na volta, o pagamento é feito em dinheiro ou com vale papel da Metrocard, que em breve será substituído por um cartão metropolitano. O vale em papel pode ser adquirido na Metrocard (Rua Benjamin Constant, 48 – Centro, Curitiba) ou nos terminais metropolitanos. Informações: 3093-3232.

Comec explica

A Comec explicou que, como o tubo da Praça Rui Barbosa abriga exclusivamente uma linha metropolitana (Pinhais – Rui Barbosa), somente dinheiro ou o vale de papel da Metrocard são aceitos. Outros tubos da capital não têm esse problema, pois provavelmente são exclusivamente urbanos (responsabilidade integral da Urbs), ou são compartilhados entre linhas urbanas e metropolitanas (gestão compartilhada Urbs e Comec).

Extras

Em relação ao ligeirinho Pinhais – Campo Comprido, a Comec negou que ônibus extras tenham sido tirados de circulação.

É o seguinte

O transporte coletivo de Curitiba já foi modelo pro mundo. Mas aí os gerenciadores estragaram o que era integração. Lá vai o usuário pagar com cartão, papel, dinheiro… Como eles esquecem que o principal disso tudo é você, a Tribuna tenta orientá-lo a andar em Curitiba e RM. Leia e veja o mapa pra ver se não temos razão. Que tal vocês, que mandam nisso tudo, pensarem um pouco mais no povão?

Entenda o Busão

 

Paraná Online

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é exclusiva de seus autores. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. o interessante é que a desintegração foi feita visando o cofre das empresas. não é que estivesse dando prejuízo, poderia dar mais lucro. tomar atitudes que empurram a bomba para o lado mais fraco da corda, ou seja, o usuário, já é costume de alguns chefões de empresas, que acreditam que vão ficar eternamente no cargo. viva o rei e morra o povo…

  2. uma sugestão: porque não fazem um cartão usuário válido para todos os municípios que fazem parte do sistema integrado? o sistema já identifica de qual cartão se originou a viagem, então integra-se também o sistema, e pronto.

  3. prefeito de ARAUCARIA devia exigir que o ligeirinho fosse novamente até a RUI BARBOSA por o municipio estar arcando com 50% da integração tinha que exigir isso da COMEC e na minha OPINIÃO o ligeirinho PINHAS / C.COMPRIDO nem deveria existir por pinhais já ter o BIARTICULADO o ligeirinho tinha que virar PINHAIS / C.DA IMBUIA e o resto do trajeto C.COMPRIDO / C.DA IMBUIA

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.