Paraná

Do inverno à primavera, calor sem escalas; Saiba como prevenir problemas respiratórios

Não haverá escalas entre o frio e o calor no Paraná. O sol e as temperaturas altas, que ganharam espaço na última semana de inverno em todo o estado, também vão predominar na primeira semana da primavera, estação que começa oficialmente nesta quarta-feira (23). Ao longo desta semana, as temperaturas máximas em Curitiba devem ficar acima dos 30º C e as mínimas não passam de 16º C, segundo previsões do Simepar. Em Maringá, no Noroeste do estado, os termômetros marcarão 37º C na quinta-feira (24) e em Londrina, no Norte, as máximas serão de 35º C até o fim da semana.Os índices de umidade atingem valores extremamente baixos, principalmente nas porções mais a oeste e noroeste do estado. Segundo o instituto Climatempo, a umidade relativa do ar em Maringá pode chegar a 19% nesta quarta. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que índices inferiores a 30% exigem atenção, enquanto abaixo de 20% configuram situações de alerta. Em Curitiba, a umidade relativa varia entre 25% e 77% no primeiro dia da primavera.

Um sistema de alta pressão atua sobre a maior parte do Brasil e funciona como uma barreira atmosférica que impede a formação de nuvens carregadas e o avanço de frentes frias. De acordo com o Climatempo, as áreas de instabilidade vão ficar concentradas nesta semana no Rio Grande do Sul, onde a chuva será frequente. O sul gaúcho é a região com maior potencial para temporais.

Mudança

As condições do tempo começam a mudar em outubro, quando uma frente fria conseguirá vencer a barreira do ar seco e levará chuva principalmente para o Sudoeste do Paraná, informa o Climatempo. Sol, calor e temporais atingirão o estado no último trimestre do ano. Devido à presença do fenômeno El Niño, a previsão é de chuva bem acima do normal, especialmente em novembro.

Veja dicas para evitar problemas causados pelo tempo seco

– Tomar bastante água. Hidratar o corpo é a melhor forma de evitar ressecamento da pele ou outros distúrbios fisiológicos.

– Evitar a prática de atividades físicas quando o sol está a pino. Caso contrário, a desidratação será ainda maior.

– Evitar permanência em ambientes secos e não usar com frequência aparelhos de ar-condicionado.

– Para o nariz ressecado, hidratante nasal (soro fisiológico) é uma boa opção. Nada de descongestionante nasal . Os descongestionantes fecham as veias e ressecam ainda mais a mucosa do nariz.

– Após o banho, o uso de hidratantes corporais diminui a sensação de ressecamento da pele.

-O uso de umidificadores de ar é recomendável, desde que em um determinado período.

– E a bacia com água? Alguns estudos apontam que o efeito é praticamente zero. Mas, em tempos assim, é melhor do que nada.

Fonte: médico pneumologista João Adriano de Barros, do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Gazeta do Povo

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.