Brasil

Diabetes e hipertensão podem causar problemas na visão, alertam médicos

Cerca de 25% dos habitantes do Paraná têm hipertensão arterial, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Quando dimensionado no âmbito nacional, esse número chega a 14% da população e segue como uma das preocupações dos profissionais de saúde, pois a doença, em algumas situações, é silenciosa. Associado ou não à hipertensão, o diabetes, que acomete cerca de 800 mil paranaenses, pode gerar graves problemas nos olhos.

Eduardo Miranda, oftalmologista do Hospital Vitória, de Curitiba, alerta que tanto a hipertensão arterial quanto o diabetes podem produzir lesões vasculares e, no caso dos olhos, essas lesões ocorrem na microcirculação retiniana.  “Quando o paciente não consegue controlar os níveis de glicemia e da pressão arterial, os olhos poderão desenvolver lesões, com consequente baixa da visão ou, inclusive, com a possibilidade de perda definitiva desse sentido”, alerta o especialista.

O médico explica que a retina – o principal órgão sensorial do olho – é a mais afetada por lesões quando essas doenças não são acompanhadas. Por isso, é necessário manter os índices de glicemia controlados, assim como a pressão arterial nos níveis de normalidade, a fim de evitar a lesão nervosa. “Quando há algum descontrole ou falta de acompanhamento, estatisticamente é comprovado um aumento nas complicações ligadas às doenças. Após dez anos do diagnóstico de diabetes, e quando a doença não é controlada, por exemplo, cerca de 100% dos pacientes apresentam algum tipo de lesão retiniana, o que requer atenção”, observa Eduardo, que indica exames periódicos para todas as pessoas, independentemente de o diagnóstico do diabetes ser confirmado ou não.

Outro aspecto ressaltado pelo especialista está relacionado às doenças secundárias, como o glaucoma e a catarata, cuja incidência é mais frequente e precoce em indivíduos diabéticos, quando comparada a pessoas saudáveis. Nos casos em que já foi confirmada uma patologia mais grave, como a retinopatia diabética, o acompanhamento, realizado por profissional de oftalmologia, deverá ser mais frequente.

Recomendações 

 A principal orientação do especialista é que o paciente aceite a doença e realize todos os cuidados necessários, como exames periódicos, a fim de diagnosticar alterações vasculares retinianas. Além disso, hábitos saudáveis que envolvem alimentação balanceada e prática de exercícios físicos regulares serão aliados para manter a saúde em dia e os níveis de açúcar e pressão arterial controlados.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.