Paraná

Desconfiados, professores do Paraná mantêm greve

AcampamentoProfessores3An

A paralisação dos professores e servidores da rede estadual de ensino vai se estender, no mínimo, até a metade da próxima semana. A APP-Sindicato, que representa os educadores estaduais, marcou para a próxima quarta-feira a realização de uma assembleia-geral que vai deliberar se a categoria põe fim à greve. Apesar de, em três rodadas de negociação, o governo ter se comprometido a atender vários itens da pauta de reivindicações, o clima entre os professores é de desconfiança e incertezas. Mesmo com os avanços, a categoria pode continuar parada.

“Se a assembleia fosse hoje, com certeza votaríamos pela continuidade da greve, porque há uma desconfiança muito grande em relação às promessas do governo”, disse o diretor de comunicação da APP, Luiz Fernando Rodrigues.Enquanto isso, a greve entra hoje no seu décimo nono dia, com a categoria mobilizada. Centenas de professores permanecem acampados na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, entre o Palácio Iguaçu e a Assembleia Legislativa. Os professores prometem permanecer no local até o fim da paralisação.O governo do estado considera as negociações encerradas. Os educadores, por sua vez, alegam que a pauta não foi esgotada. Há insatisfações, principalmente, em relação ao aspecto financeiro. A categoria reivindica o pagamento de progressões de carreira a que professores teriam direito, mas que ainda não foram implantadas.

Elas somariam mais de R$ 90 milhões. “Em relação a esse item, não houve proposta: ficou no ‘devo, não nego, pago quando puder’”, apontou Rodrigues.O sindicato também quer o pagamento imediato do terço de férias da categoria – em atraso desde dezembro, e que soma R$ 144 milhões. O governo havia se comprometido a quitar o débito até o fim de março. Chegam à APP, ainda, informações de que nem todos os funcionários temporários receberam o valor das rescisões de contrato.

Outro ponto de impasse é o porte das escolas, que, de acordo com o número de turmas, estabelece quantos professores e funcionários cada colégio vai ter. O governo havia garantido que manteria o porte que as unidades tinham em dezembro do ano passado. Até a noite de desta quinta-feira, no entanto, os colégios apareciam no sistema com o porte reduzido.

Na quinta-feira (26), o governo encaminhou um documento à APP-Sindicato oficializando os compromissos assumidos. Por isso, a decisão da categoria foi recebida com estranhamento no Palácio Iguaçu.

Gazeta do Povo

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.