Paraná

Curitibanos pedem que Orçamento priorize educação

Consulta pública feita pela Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da Câmara Municipal de Curitiba aponta que a população da Capital quer prioridade para os investimentos em educação no Orçamento da prefeitura para 2019, de R$ 9,041 bilhões. Segundo os dados da Câmara, 31% ou quase um terço das sugestões apresentadas na consulta via redes sociais e urnas foram direcionadas a essa área, seguida de obras públicas, com 18%, e a segurança com 17%.

Ao todo foram recebidas 461 participações via redes sociais (257) e urnas físicas (182), que geraram 701 apontamentos de prioridades e 375 sugestões. Com os formulários apresentados pelo site do Legislativo e as considerações feitas na audiência da Comissão de Economia, a consulta pública atingiu 741 participações, com 988 apontamentos e 613 sugestões.

Em relação à educação, a maior parte, ou 51% pediu que o setor seja priorizado na distribuição dos recursos da prefeitura. Em seguida destacam-se as solicitações para o descongelamento do plano de carreira dos professores da rede pública municipal de ensino (42%) e a reforma de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) ou de escolas (6%).

Nas obras públicas, a maior parte das sugestões, ou 67% concentram-se na pavimentação, seguida por investimentos em infraestrutura (18%) e pedidos diversos (12%). Quanto à segurança, a maior parte dos apontamentos requer a priorização dessa área. Também se destacaram investimentos na Guarda Municipal (21%) e mais patrulhamento desse órgão nas ruas de Curitiba (6%).

As regionais Bairro Novo e Portão tiveram a maior porcentual das 741 participações, ambas com 13%, enquanto a Boa Vista teve 11%. No entanto, 21% das participações não indicam a administração regional ou bairro, já que pelas redes sociais essa informação não era exigida.

Saúde – No primeiro semestre, quando a Câmara consultou a população sobre o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), etapa que antecede a formulação da LOA, foram registradas 383 participações, que priorizaram a saúde (25%), a segurança (22%) e as obras públicas (16%). A consulta ao orçamento deste ano, em outubro de 2017, teve o envolvimento de 471 pessoas, cujas demandas tiveram como foco a educação (19%), a segurança (18%) e a melhorias nas ruas da cidade (16%).

“É uma complementação à apresentação já feita, em função que foram perdidos alguns dados e abrimos um novo prazo”, explicou o vice-presidente da Comissão de Economia, Mauro Ignácio (PSB). “As sugestões feitas via consulta pública poderão ser objeto de emendas, após uma análise técnica (do colegiado)”, completou.

Segundo ele, o presidente da Comissão de Economia, Thiago Ferro (PSDB), representava a Câmara em uma atividade externa. “Naquele momento (dia 31 de outubro) não tínhamos todas as consultas (pelo site). A gente fez questão desta apresentação pela transparência”, acrescentou o presidente da Câmara, Serginho do Posto (PSDB). Ele destacou que a consulta pública ao orçamento é importante para “orientar e sinalizar as demandas da sociedade”.

Cronograma – A partir do próximo dia 27, abre-se o prazo para que os vereadores apresentem emendas à proposta do Executivo de Orçamento para o ano que vem. A votação das emendas em plenário está prevista para os dias 17 e 8 de dezembro.
Cota – A cota para a apresentação das emendas coletivas e individuais ao orçamento de 2019 ainda não foi definida. No ano passado, os 38 vereadores dividiram um montante de R$ 30,4 milhões, parte da reserva de contingência do Executivo. Apesar de não ter sido formalizada uma cota por parlamentar, eles adotaram uma média de até R$ 800 mil em proposições. Em 2017, o valor havia sido estipulado em R$ 700 mil.

Internet
Câmara vai transmitir licitações ao vivo

A Câmara Municipal de Curitiba anunciou que vai passar a transmitir as licitações da Casa para a contratação de bens e serviços, em tempo real, pela internet. A estreia do novo sistema será na próxima segunda-feira, quando a instituição licita a reforma dos 39 banheiros da sede do Legislativo– um total de 315,83 metros quadrados.

A justificativa da concorrência explica que os espaços são antigos e desperdiçam água tratada, motivos pelos quais as obras são necessárias. Nos banheiros serão instalados registros antivandalismo. O custo máximo para a contratação dos serviços é de R$ 583.448,70.

O primeiro-secretário, Bruno Pessuti (PSD), explicou que as licitações serão transmitidas ao vivo pelo canal da Câmara no YouTube ou pelo Facebook. “Basta o cidadão se cadastrar no canal ou curtir a página para que todas as vezes que entramos ao vivo ele receber uma notificação”, disse. Na segunda, como a sessão plenária é transmitida pelo YouTube, a licitação serpa transmitida pelo Facebook.

“Também inauguraremos em breve um novo Portal da Transparência, no qual o cidadão encontrará qualquer informação da administração da CMC em cinco cliques”, disse o presidente da Câmara Serginho do Posto (PSDB). “Era uma das nossas propostas quando começou a gestão”, lembrou ele, sugerindo que a medida seja adotada por outros órgãos públicos. “É uma decisão pioneira (transmitir ao vivo as licitações)”, afirmou.

 

Bem Paraná- 16/11/2018

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.