Paraná

Criança que esperava avó no acostamento morre arrastada por caminhão

Uma tragédia na BR-376, em Ponta Grossa, tirou a vida de uma criança de três anos durante a tarde desta quinta-feira (13). Um caminhão desgovernando arrastou e atropelou Natália Fernandes de Andrade, que estava sentada próximo ao guard-rail da rodovia. A menina morreu na hora.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), um veículo Volkswagen Gol se envolveu em um acidente de trânsito com um caminhão Volvo no quilômetro 491 da rodovia – cerca de 100 metros do viaduto de acesso ao Núcleo Santa Terezinha. Dentro do carro estavam Natália, a avó e outra criança da família. Os envolvidos desceram para resolver o acidente – que, no momento, não registrou vítimas.

Enquanto o caminhoneiro acionava a PRF, a avó e outros motoristas que pararam para prestar socorro colocaram as crianças próximo ao acostamento, sentadas ao lado do guard-rail da pista.

A colisão já estava parcialmente sinalizada quando outro caminhão não percebeu o que estava acontecendo e não conseguiu frear. O motorista tentou desviar dos veículos e entrou no acostamento – onde estavam Natália, a outra criança, a avó e algumas pessoas que prestavam apoio.

Ao perceberem o caminhão em alta velocidade vindo contra o aglomerado, algumas pessoas conseguiram pular e correr, mas a criança não conseguiu se movimentar a tempo e acabou arrastada pelo veículo. Natália ficou presa em baixo do caminhão e foi levada por poucos metros, quando se ‘desgrudou’ do veículo. O caminhão estava carregado e ainda atingiu outro veículo que transportava pneus antes de parar – exatamente em baixo do viaduto.

Caminhoneiro foi ao encontro da PRF para não ser linchado

A Polícia Rodoviária Federal afirmou que testemunhas tentaram linchar o caminhoneiro, que correu do local enquanto acionava socorro policial. “Ele correu em direção ao Posto Furnas e nos ligou contado o que estava acontecendo. Avisou que estava deixando o acidente com medo de sofrer represálias e que iria imediatamente ao nosso encontro”, contou um policial rodoviário que atendeu a ocorrência.

Já no posto policial, o caminhoneiro realizou exames de bafômetro – que não registraram nenhum teor alcoólico no sangue do motorista – e também prestou depoimento sobre o ocorrido.

Testemunhas ainda tentaram acionar o socorro médico. Equipes do Siate e socorristas da CCR RodoNorte estiveram no local para atender Natália, mas já encontraram a menina em óbito assim que chegaram. O corpo da garota de três anos estava totalmente desfigurado.

Desespero

A avó, ao perceber o que teria acontecido, começou a passar mal e precisou de atendimento. O pai da criança também foi socorrido em estado de choque. Ele ficou sabendo do acidente e foi imediatamente ao local – já que passava próximo à rodovia no momento.

O socorro deixou o trânsito em meia pista no sentido Ponta Grossa/Curitiba da BR-376. A rodovia teve o tráfego parcialmente paralisado por volta de 15h30 e só foi liberada perto das 17h30.

Para ver a reportagem sobre o acidente no site aRede, clique aqui

 

Uma tragédia na BR-376, em Ponta Grossa, tirou a vida de uma criança de três anos durante a tarde desta quinta-feira (13). Um caminhão desgovernando arrastou e atropelou Natália Fernandes de Andrade, que estava sentada próximo ao guard-rail da rodovia. A menina morreu na hora.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), um veículo Volkswagen Gol se envolveu em um acidente de trânsito com um caminhão Volvo no quilômetro 491 da rodovia – cerca de 100 metros do viaduto de acesso ao Núcleo Santa Terezinha. Dentro do carro estavam Natália, a avó e outra criança da família. Os envolvidos desceram para resolver o acidente – que, no momento, não registrou vítimas.

Enquanto o caminhoneiro acionava a PRF, a avó e outros motoristas que pararam para prestar socorro colocaram as crianças próximo ao acostamento, sentadas ao lado do guard-rail da pista.

A colisão já estava parcialmente sinalizada quando outro caminhão não percebeu o que estava acontecendo e não conseguiu frear. O motorista tentou desviar dos veículos e entrou no acostamento – onde estavam Natália, a outra criança, a avó e algumas pessoas que prestavam apoio.

Ao perceberem o caminhão em alta velocidade vindo contra o aglomerado, algumas pessoas conseguiram pular e correr, mas a criança não conseguiu se movimentar a tempo e acabou arrastada pelo veículo. Natália ficou presa em baixo do caminhão e foi levada por poucos metros, quando se ‘desgrudou’ do veículo. O caminhão estava carregado e ainda atingiu outro veículo que transportava pneus antes de parar – exatamente em baixo do viaduto.

Caminhoneiro foi ao encontro da PRF para não ser linchado

A Polícia Rodoviária Federal afirmou que testemunhas tentaram linchar o caminhoneiro, que correu do local enquanto acionava socorro policial. “Ele correu em direção ao Posto Furnas e nos ligou contado o que estava acontecendo. Avisou que estava deixando o acidente com medo de sofrer represálias e que iria imediatamente ao nosso encontro”, contou um policial rodoviário que atendeu a ocorrência.

Já no posto policial, o caminhoneiro realizou exames de bafômetro – que não registraram nenhum teor alcoólico no sangue do motorista – e também prestou depoimento sobre o ocorrido.

Testemunhas ainda tentaram acionar o socorro médico. Equipes do Siate e socorristas da CCR RodoNorte estiveram no local para atender Natália, mas já encontraram a menina em óbito assim que chegaram. O corpo da garota de três anos estava totalmente desfigurado.

Desespero

A avó, ao perceber o que teria acontecido, começou a passar mal e precisou de atendimento. O pai da criança também foi socorrido em estado de choque. Ele ficou sabendo do acidente e foi imediatamente ao local – já que passava próximo à rodovia no momento.

O socorro deixou o trânsito em meia pista no sentido Ponta Grossa/Curitiba da BR-376. A rodovia teve o tráfego parcialmente paralisado por volta de 15h30 e só foi liberada perto das 17h30.

Para ver a reportagem sobre o acidente no site aRede, clique aqui

 

Redação com aRede, de Ponta Grossa

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.