Araucária

Contratação de merendeiras e melhorias no cardápio fazem a diferença na alimentação escolar de Araucária

O cuidado com o cardápio e com o preparo dos alimentos faz muita diferença no resultado final das refeições. Com a alimentação escolar não é diferente. Garantir refeições saborosas e nutritivas é possibilitar que as crianças e adolescentes possam ter as condições para melhorar sua aprendizagem. Araucária realizou mudanças importantes para aprimorar o cardápio e melhorar o serviço em todas as unidades da educação (escolas e CMEIs). Uma delas é que todas as unidades da Educação, agora, preparam as refeições no próprio local. Isto foi possível com a contratação recente de 98 merendeiras.

Um estudo da Secretaria Municipal de Educação (SMED) detectou que sai mais barato  realizar o preparo das refeições nas próprias unidades escolares do que licitar refeições transportadas. A mudança também se justificou pela qualidade, sabor e cuidado das refeições preparadas pelas merendeiras nas escolas e CMEIs.

Segundo o Departamento de Alimentação Escolar (vinculado à SMED), a mudança já está tendo retorno positivo. Há unidades onde o consumo de alimentos tem aumentado porque o interesse das crianças pelas refeições também aumentou. Vale destacar que a variedade de itens do cardápio é grande. As unidades recebem verduras, frutas, pães, ovos, a pirogue, nhoque e filé de tilápia, além de bife a rolê, entre outros itens, para preparo de diversos pratos. A compra de peixe (como filé de tilápia), foi ampliada para oferecer esta opção de alimento saudável aos alunos.

Os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) contam com quatro refeições por dia; já as escolas municipais têm uma. O cardápio é elaborado de acordo com a resolução do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), a qual dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica.

No CMEI Fazenda Velha, por exemplo, oferecer um prato colorido às 140 crianças na principal refeição (das quatro oferecidas nos CMEIs) é um compromisso muito importante. Além de atrativo visualmente, a variedade de cores dos alimentos também significa maior variedade de nutrientes disponíveis. A salada oferecida na unidade educacional leva em consideração essa variação nas cores.

A equipe do Departamento de Alimentação Escolar realiza uma formação todos os anos para os profissionais que trabalham nas cozinhas das escolas e CMEIs. O treinamento visa reforçar cuidados com boas práticas na cozinha, higiene, organização de estoque e de solicitação de alimentos.

Agricultura familiar – De acordo com a legislação da área, os agricultores familiares de Araucária têm preferência para vender para a alimentação escolar. Há uma obrigação de que, no mínimo, 30% dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve ser utilizados na aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar (Lei 11.947/2009). O produtor pode fornecer os itens de maneira individual ou estar vinculado a uma associação de produtores rurais. Em Araucária, a entrega de produtos perecíveis ocorre toda segunda-feira. As rotas de entrega nas unidades educacionais foram reformuladas para otimizar o atendimento.

De acordo com o Departamento de Alimentação Escolar, todo o alimento que é possível adquirir de produtores do município está sendo adquirido. O mesmo ocorre com os diferentes tipos de pão fatiado: são todos produzidos pela agricultura familiar de Araucária e região. É importante destacar que há itens que não são produzidos no município, e, com a necessidade de oferecer uma rica variedade de alimentos, a saída é contar com a oferta de produtores cadastrados de outras regiões. Desta forma, há caqui, ponkan, pêssego, limão rosa, verduras, polpa de fruta, milho verde, feijão, pirogue, farinha de trigo, quirera, fubá, suco de uva integral entre outros itens que enriquecem o cardápio dos alunos.

Orgânicos – Livre de agrotóxicos, os alimentos orgânicos recebem atenção especial na hora da compra. A variedade também é grande. De Araucária são comprados: alface crespa e americana e feijão preto. Há outros itens orgânicos que são ‘de fora’, como extrato de tomate, pão integral, banana, laranja pêra, laranja lima, beterraba, cenoura, entre outros.

Restrições – Crianças e adolescentes que possuem restrições alimentares (a lactose ou glúten, por exemplo) ou situações de obesidade e colesterol alterado contam com cardápio adaptado, mas sempre com a preocupação de se ter um produto similar ao que os outros recebem. É o caso de iogurte sem lactose e do pão sem ovos por exemplo.

O cardápio da alimentação escolar não prevê frituras, mas há alimentos que, em datas festivas, são liberados. Como exemplos estão: paçoca, pé de moleque e cachorro quente. Na comemoração do último Natal, os CMEIs tiveram sorvete.

Em 2017, o Departamento de Alimentação Escolar realizou avaliação antropométrica de todos os alunos do 1º ao 9º ano. O foco foi detectar casos de sobrepeso e obesidade infantil. Com isso, foi possível realizar um trabalho de educação alimentar para pais, professores e diretores focado nas unidades que apresentaram maiores índices.

Data da Publicacão: 25/07/2018

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.