Entretenimento

Com ou sem barulho, fogos de artifício batem recorde de vendas neste fim de ano

Diversos municípios brasileiros farão uma festa de final de ano mais silenciosa. No Réveillon do ano passado, Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, já havia optado por utilizar na festa de Reveillón os chamados “fogos silenciosos”, que na verdade são simplesmente fogos que fazem menos barulho. Neste ano, capitais como Natal (RN), São Paulo (SP) e Florianópolis (SC) optaram por fazer o mesmo. Mas em Curitiba, ao que tudo indica, a situação será bem diferente, com uma verdadeira “algazarra celeste” na virada do ano.

De acordo com Rodolpho Aymoré Junior, proprietário da Aymoré Fogos (em atividade desde 1908) e presidente da Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná, a venda dos chamados Pet-Eco Fogos, que fazem 60% menos barulho que os tradicionais fogos nacionais de estampido, não alavancou como era esperado. Hoje, as vendas desse tipo de artefato representam apenas 2% do faturamento do setor. Por outro lado, a venda de fogos de tiro, mais barulhentos, teve alta de 68%, alcançando o melhor resultado de vendas dos últimos 30 anos.

“O pessoal quer barulho e cor de impacto forte. Esperávamos que fosse vender muito os Pet-Eco Fogos, mas o curitibano ainda não aceitou essa onda e quer o tradicional, quer fazer barulho”, afirma o empresário, apontando que sua empresa cresceu 8% neste ano, enquanto o setor como um todo, no Paraná, teve alta entre 3 e 4%. E muito desse sucesso (e da opção por fogos de tiro), aponta Aymoré, se deve às eleições de 2018, à ascensão de Bolsonaro e ao otimismo do paranaense (e em especial do curitibano) com relação ao novo governo.
“Acredito que essa alta, principalmente nos casos dos fogos de tiro, se deve à onda Bolsonaro. A procura está tão grande que quem quiser esse tipo de fogos tem de ir logo às lojas, que nos últimos dois dias não deve ter mais estoque”, diz Aymoré, destacando ainda que nunca havia visto uma campanha política movimentar tanto o setor de fogos como neste ano.

Na Lanza Fogos, o empresário Leandro Lanza apresenta um cenário diferente. Segundo ele, a procura por fogos coloridos, que fazem menos barulho (agridem menos sonoramente) e possuem efeitos visuais mais atrativos, cresceu 10%, enquanto no caso dos fogos de tiro as vendas se mantiveram estáveis.

‘Não existem fogos sem barulho’, esclarecem especialistas
Diferente do que muitos consumidores podem estar imaginando devido ao que leem nas redes sociais, não existem fogos de artifício que não fazem barulho, dizem Leandro Lanza e Rodolpho Aymoré. O que há no mercado, explicam os dois especialistas, são artefatos que fazem menos barulho do que os fogos tradicionais, de estampido, e que também costumam proporcionar uma festa de cores mais elaborada.
“Fogos sem barulho não existe. O que existe são fogos com menos barulho, cujo estampido é muito inferior àqueles fogos de tiros”, explica Leandro, que comenta ainda que muitos clientes têm aparecido em sua loja com dúvidas com relação a esse tipo de material. “São artigos pritotécnicos de alta performance importados, com mais tecnologia, que produzem pouca fumaça e fazem 60% menos barilho que os tradicionais fogos de estampido”, complementa Rodolpho, falando sobre os Pet-Eco Fogos.
“E isso mesmo com os fogos coloridos sendo mais caros (um preço cerca de 30% mais alto do que os mais barulhentos e com menos efeitos visuais). O colorido sempre tem uma procura maior.”

Últimas semanas do ano representam 92% das vendas do setor
Com barulho ou sem barulho, fato é que as duas últimas semanas do ano (e em especial a semana derradeira) são o verdadeiro Natal do setor de Fogos de Artifício. De acordo com a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná, 92% do movimento anual das empresas do ramo se concentra entre os dias 22 e 31 de dezembro. Neste ano, por conta das eleições, o percentual deve ser um pouco mais baixo, de aproximadamente 85%, segundo Rodolpho Aymoré Junior, presidente da associação.

“Este ano deu uma mudada porque foi o ano que mais vendemos fogos ao longo do ano, devido à campanha política, que foi muito boa (para o setor). Mas ainda assim esse é o grande momento, a nossa grande hora. Tanto que todas as lojas estão abertas das 8h30 Às 22 horas. Essa última semana do ano é o nosso Natal”, diz o empresário, proprietário da Aymoré Fogos.

No Litoral, prefeituras prometem até 15 minutos com queima 
Como já é tradição, o Litoral paranaense (que encara os dias com maior lotação das praias na semana derradeira do ano) também contará com atrações especiais e muitos fogos de artifício para a festa da virada de ano.

Em Pontal do Paraná, a promessa é de 15 minutos de show de luzes no Réveillon, com atrações em Praia de Leste, Santa Terezinha, Ipanema, Sangri-la e Ponta do Sul. Segundo a Prefeitura, a festa terá mais luzes e cores e menos estampidos, com a utilização de fogos de artifício que produzem menos barulho.
Em Guaratuba, a festa da virada acontecerá na Praia Central e contará com trio elétrico e Djs. A queima de fogos, com previsão de 13 minutos de espetáculo, acontecerá no Morro do Cristo. Ali do lado, em Matinhos, a queima de fogos, com mais de dez minutos, será no pico do Morro do Boi, tendo como ponto focal a praia de Caiobá.

Cuidados 
As festas de fim de ano tradicionalmente são comemoradas com fogos de artifício. Para evitar acidentes, alguns cuidados são essenciais, já que o manuseio inadequado desses artefatos podes deixar sequelas permanentes ou até mesmo ser fatal. Eis as dicas que a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros repassam aos cidadãos:
Somente adquira fogos de artifícios em locais devidamente autorizados
Leia atentamente o rótulo de segurança e data de validade dos artefatos no momento da compra
Mantenha caixas de fósforos e/ou isqueiros em locais fora do alcance das crianças
Nunca solte fogos em ambientes fechados, e quando o fizer em ambientes abertos, atente para sua segurança
Ingestão de bebida alcoólica e fogos não combinam
Para a queima de rojões utilize um suporte adequado e o mantenha fora do alinhamento do seu corpo, bem como sua projeção inclinada para uma área segura
Cuidado com o efeito retardado. Os fogos podem falhar temporariamente; se isso acontecer considere o artefato ativo
Não acenda bombas na mão, utilize uma base segura e o acenda com segurança
Não coloque o artefato em bolsos
Em caso de queimaduras, procure aliviar a dor imergindo a parte afetada em água potável e se necessário procure imediatamente auxílio médico
Não solte rojão em qualquer lugar, procure um lugar aberto para soltar os fogos de artifício. Não o lance fogos de artifício junto às redes de eletricidades. Próximo de residências também não é aconselhável
Não utilize fogos em locais onde há perigo de incêndio. Também nunca solte dentro de canos, caixas de esgoto, recipientes de vidro e afins. Caso estiver com pessoas próximas, peça-as para que se afastem e nunca solte em direção a ninguém.

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.