Paraná

Com novas doses, Paraná avança na vacinação de idosos e profissionais da segurança

A imunização de pessoas a partir de 60 anos prossegue no Paraná com 309,2 mil novas doses de vacinas contra o coronavírus enviadas pelo Ministério da Saúde ao Paraná na manhã desta quinta-feira (29). O 15º lote é composto por 303.000 doses da Covishield, da Universidade de Oxford/Astrazeneca/Fiocruz, e 6.200 doses da Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan/Sinovac.

As doses chegaram ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 10 horas e foram encaminhadas ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). Dali, os imunizantes serão distribuídos a partir das 8 horas desta sexta-feira (29) às 22 Regionais de Saúde do Estado por via terrestre (Regionais de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Londrina, Telêmaco Borba e Ivaiporã) e aérea (Regionais de Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Toledo.

Os quantitativos de doses por regional serão divulgados em breve.

Toda a remessa recebida é destinada às primeiras doses de grupos prioritários cuja imunização já está em andamento. As doses da Coronavac são todas indicadas a pessoas de 60 a 64 anos. São 5.581 doses para o grupo, o equivalente a 1% do total de pessoas da faixa etária. As demais recebidas são destinadas à reserva técnica.

As vacinas da Covishield, por sua vez, são destinadas a dois grupos prioritários: além de 48% do total de idosos entre 60 e 64 anos, abarcados por 270.380 doses, mais 2.277 doses são indicadas a 6% do total de trabalhadores das forças de segurança, salvamento e Forças Armadas. As doses restantes também são armazenadas como reserva técnica.

“Mesmo com indicadores melhores, nossos hospitais continuam cheios e os cuidados contra o coronavírus têm que ser mantidos”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “A orientação que temos dado a todos os municípios é que sigam muito claramente o que está preconizado no Plano Nacional de Imunização, e que evitem usar a segunda dose como primeira para que não falte para quem precisa tomar o reforço”.

PFIZER – Além da Coronavac e Covishield, as vacinas fabricadas pela farmacêutica norte-americana Pfizer devem integrar o esquema de vacinação do Paraná a partir da próxima semana.

Um primeiro lote de um milhão de doses do imunizante está previsto para chegar ao Brasil nesta sexta-feira (30). O acordo de compra da fabricante com o governo federal prevê a entrega de um total de 100 milhões de vacinas ao País.

“Nesta primeira carga, possivelmente a orientação do Ministério da Saúde será de concentrar as vacinas nas capitais. O Ministério vai descentralizar metade das doses deste primeiro lote para guardá-las para a segunda dose. Nosso cálculo é receber de 4% a 5% do quantitativo distribuído. Se esse quantitativo for de 500 mil doses, devemos receber de 20 a 25 mil doses da Pfizer destinadas para uso em Curitiba”, explicou o secretário.

A vacina da Pfizer também requer duas doses para garantir a imunização completa, que devem ser aplicadas em um intervalo de 21 dias. Ao contrário das vacinas do Instituto Butantan e Fiocruz, este imunizante demanda um armazenamento a -70°C, o que faz necessário freezers específicos.

O Estado tem disponíveis sete freezers com essa capacidade, que podem armazenar as vacinas por até seis meses, e prevê a entrega de outros seis equipamentos por parte do Ministério da Saúde. Também já estão disponíveis outros dois congeladores com capacidade de -20°C, onde as doses podem ser armazenadas por até duas semanas.

60 ANOS – Segundo levantamento da secretaria estadual da Saúde, 63 municípios do Paraná já haviam começado a vacinar pessoas com 60 anos até esta quarta-feira (28), o que representa 15,7% do Estado.

Beto Preto reforça que a velocidade de vacinação depende da quantidade de doses disponibilizadas ao Estado, e que dentro de alguns dias todos os 399 municípios paranaenses estarão dentro desta faixa etária. Ele comentou que, após os idosos, o novo foco será vacinar as pessoas com comorbidades.

“O que temos como certo é que as comorbidades vão continuar seguindo as faixas etárias”, disse. “Na primeira etapa, focaremos em pessoas com 59 anos, depois passar às de 58, e assim por diante. A vacinação deve continuar seguindo essa linha etária, mas agora com as comorbidades como prioridade”.

Até a tarde desta quinta-feira (29), o Paraná aplicou um total de 2.696.865 de vacinas, sendo 1.726.540 primeiras doses e 970.325 segundas doses. As primeiras doses representam 37,25% do total de pessoas incluídas nos grupos prioritários e 16,53% de toda a população do Estado. Com relação à dose de reforço, o número representa 34,66% dos grupos prioritários e 9,29% da população total.

AEN

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.