Bem Estar e Saúde

COLUNA BEM ESTAR E SAÚDE – “Meu ombro dói, o que pode ser?”

A dor no ombro é um sintoma muito frequente – é o segundo maior motivo de procura a ortopedistas nos pronto-atendimentos (perde apenas para dor nas costas). Entre as principais causas estão a tão famosa bursite, a síndrome do impacto, lesões do manguito rotador, tendinose do bíceps, fratura de clavícula, fratura de úmero, luxação acromioclavicular, luxação gleno-umeral, tendinite calcária, instabilidade do ombro, capsulite adesiva, osteoartrose acromioclavicular ou gleno-umeral, entre outras.

“E como faço para saber qual delas está causando minha dor?”

É fundamental realizar essa diferenciação e é justamente para isso que estamos aqui.

Inicialmente é importante avaliar a idade do paciente, pois algumas patologias ocorrem em pessoas mais idosas (como a osteoartrose e a fratura de úmero proximal) e outras em pacientes mais jovens (como a síndrome do impacto e a fratura de clavícula).


Outro fator importante é avaliar como a dor começou: se gradativa, por exemplo após esforços repetitivos, ou se de maneira abrupta, após algum trauma (acidente automobilístico; queda de mesmo nível). No primeiro caso as patologias mais frequentes são a bursite ou a síndrome do impacto – o ombro é submetido a cargas excessivas para as quais não está suficientemente preparado e isso gera inflamação local, acarretando dor. No segundo caso as patologias mais frequentes são fratura de clavícula ou luxação acromioclavicular em jovens e fratura de úmero proximal em idosos. As lesões do manguito rotador (rupturas de tendões) podem ocorrer tanto de forma gradual – lesões degenerativas – como de forma abrupta – lesões agudas.


Após a anamnese, o exame físico do paciente é de suma importância, pois há sinais (como hematoma, inchaço local, pontos dolorosos) e testes específicos para diferenciar cada doença. Depois disso, muitas vezes é necessário o auxílio de exames de imagem (como radiografias, ultrassom, tomografia computadorizada ou ressonância magnética) para complementação do diagnóstico, os quais serão solicitados de acordo com a suspeita de cada caso.

Em resumo, a dor no ombro é um sinal de que algo está errado e isso pode ocorrer devido a inúmeros fatores. Por isso, é necessário realizar uma investigação minuciosa e consultar seu ortopedista para que ele possa realizar uma avaliação clínica, exame físico e, se necessário, solicitar alguns exames complementares, para então chegar à causa da dor e poder tratá-la de maneira adequada.


Futuramente abordaremos alguns aspectos de cada uma dessas patologias, seus sinais e sintomas, como realizar o diagnóstico e qual a melhor abordagem terapêutica para cada uma delas. Portanto, fiquem atentos às próximas publicações da nossa equipe da Clínica São Vicente!!

Dr Filipe Ribas Baracho  – CRM 32439
Ortopedia Ombro – Cotovelo

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.