EconomiaSaúde

Boates de Curitiba já sentem queda no movimento devido ao impacto do coronavírus

Boates de relacionamento de Curitiba já sentem o impacto do coronavírus, com uma queda de público nos últimos dias. A informação foi dada à reportagem, na manhã desta quinta-feira (12), pelo presidente da Abrabar-PR (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), Fabio Aguayo, que revelou um clima de apreensão entre os empresários de bares e e casas noturnas para as próximas semanas. Para ele, é preciso tomar medidas para que não se tenha uma crise enorme no setor.

Estamos muito preocupados, porque vivemos uma crise nos últimos seis anos e se acreditava que seria um período de recuperação, mas agora chegou essa pandemia. Nós estamos tentando acalmar os empresários e pensar em algumas ideias para este período. Principalmente, a população tem que estar consciente de que há maneira de se evitar”, disse Aguayo.

Curitiba teve uma primeira confirmação de coronavírus nesta quarta-feira, em caso que aguarda contraprova. No Distrito Federal, por meio de decreto, foram suspensos eventos públicos com mais de 100 pessoas. Também ficou estabelecido que bares e restaurantes devem manter suas mesas a uma distância mínima de dois metros entre elas.

Segundo Aguayo, boates de relacionamento já estão sofrendo. “Alguns colegas de boates de relacionamento, onde há maior contato físico, afirmaram que já estão com problemas. Conversei com alguns amigos e já percebi que deu uma baixa no movimento. Vamos avaliar como vai ser este fim de semana, mas o clima é de apreensão, porque isso acende o receio no cidadão. Se tiver tempo bom, pode nos ajudar, mas se estiver tempo ruim, a tendência é do povo não frequentar”, ponderou.

De acordo com o presidente da Abrabar, a entidade busca, neste momento, acalmar os empresários e encontrar alternativas, com a expectativa de que se aumente os pedidos por delivery, além de se esperar uma contrapartida do governo. “Portugal já está ajudando o empresário na questão dos impostos, porque muita gente, se não tiver arrecadação, não vai ter como pagar funcionários e os impostos. Temos 13 milhões de desempregados, mas o que vai acontecer agora?”, questionou.

O Brasil tinha 69 casos confirmados de Coronavírus até por volta das 10h desta quinta-feira. A tendência é que o número aumente durante o dia.

Banda B

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduanda pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.