Brasil

Banco do Brasil e Caixa liberam mais recursos para crédito imobiliário por meio do FGTS

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal disponibilizaram linhas de crédito imobiliário para trabalhadores que tenham cotas no FGTS e queiram comprar a casa própria. A linha, conhecida como Pró-cotista, teve regras alteradas em maio deste ano pelo Conselho Curador do fundo e aumentou em R$ 4,9 bilhões seu tamanho.

Até então, o fundo tinha cerca de R$ 800 milhões disponíveis para esse tipo de operação de crédito. O objetivo da medida adotada pelo governo foi fortalecer o Pró-cotista para que ele pudesse compensar a perda de recursos da poupança utilizados para financiar a compra de imóveis.

A Caixa financia até 85% do valor dos imóveis, pelo prazo máximo de 360 meses. As taxas de juros efetivas variam entre 7,85% e 8,85% ao ano.

O crédito do BB cobre até 90% do valor de avaliação, também em até 360 meses. A taxa de juros é de 9% ao ano.

Condições

Para conseguir o crédito junto aos bancos, o cliente deve ter um mínimo de 36 contribuições ao FGTS, mesmo que não consecutivos. O teto do valor do imóvel que pode ser financiado nesta linha de crédito é de R$ 400 mil.

Juntos, os bancos estatais liberaram o equivalente a R$ 5 bilhões, sendo R$ 4 bilhões na Caixa.

O BB afirma que 2,2 milhões de clientes reúnem as condições para se habilitarem a este tipo de financiamento. Já a Caixa afirma ter contratado R$ 1,35 bilhão em financiamentos via Pró-cotista.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.