Paraná

ATENÇÃO: Professores da Rede Estadual aprovam greve e segunda não terá aula

noticia_506545_img1_foto-2-1

Professores e funcionários da rede estadual de ensino aprovaram por unanimidade, na manhã deste sábado (7), greve por tempo indeterminado. Com isso, fica prejudicado o começo das aulas que estava marcado para a próxima segunda-feira (9). Mais de 2,1 mil escolas ficarão sem aulas, afetando os 950 mil alunos matriculados na rede.  Segundo a APP Sindicato, as escolas estarão abertas na segunda-feira para receber os alunos, mas não haverá aula.

“A greve foi definida por conta dos cortes promovidos pelo governo do estado e com a proposta de acabar com direitos dos professores, conquistados historicamente”, afirma o  Luiz Fernando Rodrigues o diretor de comunicação da APP-Sindicato, que representa a categoria. A assembleia acontece em Guarapuava, no Centro-Sul. Cerca de cinco mil professores participam do encontro. Na segunda-feira e na terça-feira (10), estão programados atos em Curitiba.

Além dos debates e encaminhamentos, o ato contou com dezenas de manifestações de repúdio ao Governador Beto Richa e sua equipe. Os educadores entendem que a atual gestão implantou o caos nas escolas, com a falta de repasses aos estabelecimentos de ensino, demissão de profissionais, diminuição de turmas e aumento do número de alunos nas salas de aula, atrasos e falta de pagamentos de benefícios dos trabalhadores, eliminação de programas e projetos educacionais e sucateamento de laboratórios e outras estruturas.

“Além de adotar sucessivas medidas que prejudicam a escola e os trabalhadores, o Governo do Paraná abandonou qualquer forma de diálogo e entendimento junto à categoria, praticamente, empurrando os trabalhadores da educação para a greve”, explica Fabiano Severino, presidente da APP-Sindicato/Foz.

Durante a assembleia, a categoria também definiu a pauta de reivindicação do movimento. Entre as reivindicações aprovadas, está a retirada ou a rejeição dos projetos de lei apresentados pelo governo esta semana. O primeiro promove o desmonte dos planos de carreiras dos professores e funcionários de escola, atingindo inclusive os servidores temporários (PSSs). A outra proposta altera a previdência dos servidores estaduais, restringindo direitos e  autorizando o governo a utilizar o fundo previdenciário para o pagamento de dívidas do estado.

As reivindicações dos servidores incluem também: pagamento imediato dos salários em atraso (PSSs, 1/3 de férias, auxílio alimentação e conveniadas), retomada das negociações sobre os temas educacionais e a organização escolar, retomada do Porte das Escolas tendo como referência mínima dezembro de 2014, retomada imediata dos projetos educacionais e programas, abertura e reabertura de turmas/matrículas, contra a superlotação das salas de aulas, nomeação de todos os professores e pedagogos concursados e não apenas os 4.503, como fez o governo, excluindo do chamamento cerca de 1.000 pedagogos.

“A nossa pauta abrange temas educacionais e da organização escolar, para retomarmos as discussões que conduzam à melhoria da qualidade da educação para a população. A outra parte da pauta exige a reposição dos direitos dos trabalhadores, como o pagamento de benefícios em atraso e a manutenção de conquistas históricas, como o plano de carreiras e a aposentadoria da categoria”, explica Mirian Takahashi, secretária de comunicação da APP-Sindicato/Foz.

Em nota, a Secretaria da Educação lamentou a decisão pela greve dos professores e lembrou que, nos últimos quatro anos, a categoria recebeu 60% de reajuste salarial e a ampliação de 75% na hora-atividade, dois avanços históricos em vencimentos e benefícios. Ainda segundo o governo, em 2014, os investimentos do Paraná no setor superaram em R$ 1,8 bilhão o mínimo constitucional e o Estado aplicou na área 35% do orçamento.

Na sexta-feira (6), o Secretário de Educação do Paraná, Fernando Xavier Ferreira, falou sobre os problemas com a falta de professores e funcionários na rede estadual de ensino em uma entrevista à RPC. Ele havia garantido o reinício das aulas e orientou os pais a levarem os filhos para as escolas.
Ferreira assegurou também que não faltará professores nas salas de aula do estado. Quanto aos demais funcionários, essenciais para o funcionamento de uma instituição de ensino, o secretário afirmou que os diretores receberão novos funcionários temporários. Sobre as rescisões atrasadas, o governo estadual que o pagamento ocorrerá no fim deste mês.

Motivos que levaram à greve:
O sindicato listou motivos que levaram os professores a optar pela greve. São eles:
– 29 mil professores PSS – contratados temporários – com atrasos de pagamento, sem acertos da rescisão, dispensados no final de janeiro;
– 10 mil funcionários de escola afastados com a promessa de corte de 30 % deste efetivo – as escolas do Paraná carecem de mais funcionários para atender adequadamente os estudantes;
– Não pagamento de 1/3 das férias – cerca de R$ 150 milhões;
– Não pagamento de promoções e progressões de professores e funcionários durante todo o ano de 2014, direito esse garantido pelos Planos de Carreira dos dois segmentos. Essa dívida já soma 90 milhões;
Professores estaduais protestam em Pinhais, na Região de Curitiba
‘Não há condição de retornar o período letivo’, diz APP-Sindicato
Professores da rede estadual do PR protestam contra corte de gastos
Prefeitura de Ponta Grossa adia início das aulas para planejar retorno
– Atraso sistemático no repasse de parcelas do fundo rotativo – esse recurso são utilizados para a manutenção e pequenos reparos nas escolas;
– Atrasos do pagamento de convênios com escolas, entidades da educação especial, escolas itinerantes da reforma agrária;
– Cancelamento da distribuição de aulas feitas em dezembro;
– Retomada de portaria antiga sobre o porte de escola – portaria esta que reduz horas para direção das escolas, número de pedagogos e pedagogas, funcionários em número insuficiente para manter as escolas em condições de atender adequadamente os estudantes;
– Superlotação de alunos em salas de aulas;
– Cancelamento do processo de eleição dos diretores e diretoras das escolas.

 

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.