Araucária

Araucária Transporte Coletivo diz que situação financeira da empresa é precária

fd5f519347599fd439106b472dc552e5Do Portal BandaB

Depois do protesto de motoristas e cobradores que atrasou a saída de ônibus em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, na manhã desta terça-feira (24), a empresa responsável por operar o sistema, a Araucária TC, afirmou que a situação financeira é precária por culpa da desintegração do transporte coletivo na cidade. Segundo nota, o aumento no número de passageiros pulando catraca e a indefinição no pagamento de subsídios por parte do Governo do Paraná compromete o caixa da empresa.

A nota foi encaminhada à Banda B pelo Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp). De acordo com o documento, a empresa pediu uma audiência de conciliação com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), a fim de chegar a uma solução quanto ao pagamento das rescisões dos 16 funcionários desligados, motivo da manifestação na manhã de hoje.

Após a mudança na integração do transporte coletivo neste ano, o custo da ida para Curitiba de quem sai de Araucária passou a ser de R$5,80. Manifestações foram feitas no terminal da cidade. Ao que parece, após as mudanças passageiros estão pulando catraca para evitar o pagamento da passagem. Se forem flagrados, podem ser presos em flagrante.

Confira a nota na íntegra enviada pela Setransp:

– com a desintegração do sistema de transporte coletivo, a Araucária TC vem sofrendo perdas em duas frentes: 1) chega a até 30% o volume de evasão de receita nos dois terminais do município em função de passageiros pulando catracas; 2) o governo do Estado ainda não definiu na sua totalidade o pagamento de subsídios, o que compromete o caixa da empresa;
– diante do exposto, a Araucária TC entrou nesta terça-feira com um pedido no Ministério Público do Trabalho (MPT) requerendo um encontro de conciliação com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), a fim de chegar a uma solução quanto ao pagamento das rescisões dos 16 funcionários desligados.

Com relação ao nova valor da passagem, definidno pela Copmec em fevereiro deste ano, o órgão, à época, falou o seguinte:

A COMEC, responsável pela definição das tarifas na RMC, justifica o pagamento das duas passagens (R$ 2,50 dentro de Araucária e R$ 3,30 para Curitiba) como uma decisão que vai beneficiar o desenvolvimento regional do município, fazendo com que as pessoas busquem mais serviços sem sair de Araucária. De acordo com o diretor-presidente do órgão, Omar Akel, 30% dos usuários de Araucária vêm para Curitiba e os outros 70%, que circulam na cidade, acabavam pagando a conta da distância maior. “Araucária tem um excelente sistema de transporte municipal e precisamos induzir o desenvolvimento regional”, afirmou Akel.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.