Araucária

Araucária intensifica realização de testes rápidos para sífilis até dia 19 de outubro

Durante esta semana, a Prefeitura de Araucária, por meio da Secretaria de Saúde/SOA, está intensificando a realização de testes rápidos para detectar a sífilis, uma infecção sexualmente transmissível (IST). A ação ocorre nas unidades básicas de saúde e no Serviço de Orientação a IST/HIV/Aids-SOA (rua Guilherme da Mota Correia, nº 55 Centro). No sábado (19), a equipe do SOA estará, das 11h às 16h, na Clínica de Saúde da Mulher e do Idoso (no mesmo complexo onde funciona o SOA) realizando testagem rápida. Em 2018, Araucária registrou 147 casos de sífilis em adultos, 34 casos em gestantes e 10 casos em bebês (congênita – transmitida da mãe para o bebê).

Conforme informações da Secretaria Municipal de saúde de Araucária, o n[úmero de registro de casos de sífilis em adultos quase triplicou de 2014 a 2018. Em 2014, foram 53 registros. Em 2018, 147 casos. Neste ano (até 10/10) já foram 107 registros positivos. O registro de sífilis congênita em 2018 foi de 10 casos; em 2019 (até 10/10) foram 03 casos confirmados. Já a sífilis em gestante teve 34 registros positivos em 2018; em 2019 (até 10/10) já são 29 casos.

A sífilis faz parte do grupo de infecções (HIV/Aids, Hepatites B e C) que são transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) com pessoa infectada sem o uso de camisinha (masculina ou feminina). A transmissão de uma IST pode acontecer também da mulher infectada para a criança durante a gestação ou parto (sífilis congênita). O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima a ocorrência de aproximadamente um milhão de casos de IST por dia no mundo, entre elas estão a clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase. A presença de uma IST, como sífilis ou gonorreia, aumenta o alerta para o risco de adquirir o HIV. Em uma única situação de desproteção, é possível que o organismo seja infectado por várias IST.

Planejamento – Casais que planejam ter filhos precisam realizar exames antecipadamente visando garantir que não haverá transmissão de alguma IST para a mulher e nem para o bebê. Durante o período de gestação, a sífilis leva a mais de 300 mil mortes fetais e neonatais por ano no mundo e aumenta o risco de morte prematura em outras 215 mil crianças. Se a gestante com diagnóstico positivo para sífilis receber tratamento adequado e precoce durante a gestação o risco complicações à criança pode ser mínimo. O parceiro também precisa receber acompanhamento já que se ele estiver infectado pode ocorrer a reinfecção à gestante, trazendo riscos ao feto.

Na última década, no Brasil, observou-se um aumento de notificações de casos de sífilis (em adultos, gestantes e congênita). Esse fato pode ser atribuído, em parte, ao aprimoramento do sistema de vigilância e à ampliação da utilização de testes rápidos.

Prefeitura de Araucária

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.