Araucária

ARAUCÁRIA: Em acidente com morte motorista diz “não vai dar em nada” , e não deu!

acidente-dentro11A previsão de um motorista sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) que se envolveu em um acidente com morte no último dia 14 de que tudo “não daria nada”, pelo menos até o momento, vem se confirmado. Nove dias depois do acidente na Av das Araucárias, em Araucária, ainda não foi aberto um inquérito para o caso e o motorista de 48 anos continua solto sem sequer ter sido chamado para depor. A falta de ação no caso foi levantada pela Banda B, que fez reportagem sobre o acidente com morte e foi procurada pela família da vítima, um senhor de 62 anos, indignada com a falta de justiça. A Delegacia de Araucária, responsável pela investigação, informou nesta quarta-feira (22) que não havia sido informada do fato e orientou a família a ir até lá para prestar depoimento.

O acidente aconteceu no último dia 14 na avenida das Araucárias, no trevo com a Rodovia do Xisto. Paulo Pereira dos Santos estava em outro veículo e morreu na hora. A Polícia Militar (PM) estava no local, mas o homem, mesmo admitindo não ter CNH, não recebeu voz de prisão no momento do acidente. A PM afirma que fez todos os procedimentos cabíveis para a instauração posterior do inquérito e que a prioridade foi prestar socorro às vítimas.

A família de Santos está revoltada com a situação e com o descaso perante um acidente fatal de trânsito. A filha Kátia Freitas dos Santos, que estava no banco de trás, disse que o Boletim de Ocorrências (BO) ainda não estava pronto depois de seis dias do acidente. “Fui até a delegacia de Araucária na segunda-feira e me disseram que não tinha nada lá e que era para eu procurar a Polícia Militar”. A Banda B entrou em contato com a delegacia na manhã desta quarta-feira (22) e também foi informada que ainda não havia nenhum inquérito instaurado para que fosse apurada a morte do motorista.

Kátia contou, ainda, que no dia do acidente os feridos foram atendidos somente pela segunda ambulância do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), já que a primeira encaminhou o motorista do Fox que, segundo ela, estava aparentemente bem. “A polícia apareceu 10 minutos depois e pediu para a gente esperar porque estava dando atendimento primeiro para o motorista do Fox, que estava andando, bem e rindo da nossa cara. Ele até deu entrevista para a Banda B. Nem um bafômetro foi feito nele. Os policiais o rodearam e, de repente, ele estava dentro da ambulância do Siate, antes mesmo que nós, que estávamos feridos. Ninguém deu apoio para a gente, não. Nem policiais militares, nem socorristas. A outra ambulância chegou trinta minutos depois e, só então, fomos atendidos”, descreveu, em detalhes. Além de Kátia, o marido dela teve ferimento na perna e na boca.

O acidente

A vítima fatal dirigia o veículo Santana por volta das 4 horas e passava pelo trevo da Rodovia do Xisto quando foi atingido pelo Fox que vinha pela avenida das Araucárias. Santos morreu na hora e os três – homem que dirigia o Fox, a passageira do Fox, Kátia e o marido – foram encaminhados ao Hospital Municipal de Araucária. “A todo momento ele ria, andava, não estava nada machucado. Dizia que a culpa era do morto. A gente quer justiça e eu creio que isso vai acontecer. Esse homem não poderia estar na direção”, disse a filha do motorista que morreu.

De acordo com informações apuradas pela Banda B no dia do acidente, o motorista do Fox  alegou dores nas costas e, por isso, também foi levado pelos socorristas do Siate ao hospital. A família questiona por que o  homem então não foi escoltado até o hospital para, depois então, ser levado a Delegacia de Araucária.

O inquérito policial sequer foi instaurado porque o suspeito não recebeu voz de prisão dos policiais militares. Se a voz de prisão tivesse sido dada pela falta de CNH em um acidente com morte, o acusado teria que ser escoltado até o hospital. A Polícia Militar (PM), porém,  afirma que, nesse caso, não há necessidade desse procedimento porque o motorista foi hospitalizado. O homem que dirigia sem CNH e se envolveu em um acidente com a morte de um homem recebeu alta médica horas após o acidente e até o momento não prestou nenhum esclarecimento à polícia.

“Não vai dar nada”

Em entrevista à Banda B no dia do acidente, o motorista que dirigia sem CNH disse que não estava preocupado. “Eu vinha pela Av. das Araucárias e o rapaz invadiu a minha frente. Não tenho CNH e não preciso, porque dirijo assim desde os 15 anos. Não tenho medo de ser punido, não vai dar nada, porque eu não fiz nada, o cara invadiu a pista e a culpa é dele”, afirmou.

Polícia Militar

O comandante da 2ª Cia da Polícia Militar, o capitão Nelson Stochero Júnior, disse, em entrevista, que a prioridade foi dar socorro às vítimas. “Depois foi verificado mesmo que o cidadão não tinha carteira de habilitação, o boletim de acidente foi feito, o que a gente chama de Bateu, e também os dois autos de infração por ele não ser habilitado”, explicou.

Sobre o procedimento de escoltá-lo até o hospital, o capitão explicou que outros procedimentos foram executados para que o inquérito foram instaurado. “Foi feita toda a parte administrativa e, com certeza, ele será indiciado. Logicamente, que também vamos analisar as causas do acidente, mas tudo foi feito para que fosse dado continuidade”, finaliza o capitão, que esclareceu também que uma prisão em flagrante aconteceria em caso de alcoolemia.

 

BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.