Paraná

Após reunião, professores decidem manter greve nas escolas estaduais

greveApós seis horas de reunião com representantes do governo, os professores da rede estadual de ensino decidiram, nesta sexta-feira (20), manter a greve geral. A paralisação entrou no 12º dia nesta sexta-feira. E vai durar ao menos até segunda-feira (23), quando haverá uma nova rodada de negociações.

“A greve continua. Há alguns pontos pendentes na pauta financeira”, confirmou Luiz Fernando Rodrigues, secretário de Comunicação da Associação dos Professores do Paraná (APP-Sindicato). Segundo ele, houve avanço em outros pontos de discórdia. A categoria vai debater o encontro neste sábado (21).

A reunião de sexta-feira, no Centro Cívico, envolveu 20 pessoas, incluindo o secretário da Educação, Fernando Xavier Ferreira, sua equipe técnica, o presidente da APP-Sindicato, Hermes Silva Leão, e outros representantes da categoria. A reunião, inicialmente marcada para a parte da manhã, foi adiada para a tarde. E teve até a participação posterior do chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra. Isso porque o encontro, marcado para começar às 15 horas, pouco avançou até que o secretário entrasse. A reunião durou seis horas e só terminou pouco antes das 21 horas.

Na pauta financeira, havia um compromisso do governo de quitar todos os valores atrasados a partir de terça-feira (24), mas de forma parcelada. São R$ 82 milhões referentes às rescisões de contratos de 29 mil professores temporários. Há ainda o abono do terço de férias a todos os servidores desde dezembro. A proposta do governo é de pagar R$ 12 milhões em fevereiro (para quem tirou férias em novembro e dezembro) e o restante em março e abril, em duas parcelas iguais de R$ 72 milhões cada. A APP insistiu para que o pagamento seja feito todo de uma só vez. Segundo a categoria, o governo alega dificuldades financeiras para quitar tudo.

O porte das escolas era outro ponto de controvérsia, mas nesse caso houve avanço. Para a APP-Sindicato, a quantidade de educadores e outros funcionários das escolas não atende mais à demanda. Seria necessário readequar o tamanho das turmas. E também reestruturar as escolas. No encontro, a Secretaria de Educação assumiu a reabertura de turmas – havia 2.200 turmas fechadas. E ainda se comprometeu com a recontratação de funcionários e professores para suprir a demanda.

Os professores vão manter o acampamento na praça Nossa Senhora do Salete, em frente à Assembleia Legislativa. Eles estão parados desde o dia 9 deste mês, dia em que a rede estadual de ensino deveria, teoricamente, voltar às atividades. Ao todo, 950 mil alunos estão sem aulas em todo o estado.

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.