Curitiba

Após filas, Curitiba descentraliza vacinação de trabalhadores da saúde e decide ir até hospitais

A secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, informou nesta sexta-feira (29), durante entrevista coletiva, que o processo de vacinação dos profissionais dos serviços de saúde da cidade vai ser descentralizado a partir de hoje.

No período da tarde, equipes de vacinadores da Secretaria Municipal da Saúde irão aos hospitais Evangélico Mackenzie, Cajuru, Hospital do Trabalhador, Pequeno Príncipe e Hospital de Clínicas. Márcia lembra que somente serão vacinados os profissionais que já estavam nas listas desses serviços de saúde.

Outra medida anunciada pela secretária é a abertura do Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, excepcionalmente neste domingo (31/1). A vacinação vai ser feita das 9h às 15h. Rotineiramente, o centro de vacinação funciona de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Os profissionais a serem vacinados vão ser agendados a partir das listas enviadas pelos hospitais. Márcia Huçulak reforça que, quem não for procurado pela SMS para fazer o agendamento, não deve ir ao Barigui no domingo.

Fake news

A reorientação foi feita em decorrência de filas geradas no pavilhão do Barigui nesta quinta-feira.

Segundo Márcia, elas ocorreram devido a informações incorretas que circularam entre funcionários das instituições de saúde. Uma delas dizia que todos poderiam se deslocar ao Barigui para vacinação. Outra, dizia que as vacinas iriam acabar nesta sexta-feira.

“Nenhuma delas é verdade”, destacou a secretária.

Com isso, houve um fluxo grande de pessoas que não estavam agendadas e, tampouco, constavam das listas enviadas pelos hospitais. As equipes de atendimento, então, precisaram conferir os dados dos presentes, num processo demorado.

“Quem estava cadastrado e agendado foi vacinado em 10 minutos”, afirmou.

“Nós temos um compromisso com a transparência. Quero deixar claro que para este primeira fase do grupo prioritário nós temos vacina para todos. E teremos para os demais na medida em que as vacinas cheguem.”

Checagem e rechecagem

Márcia Huçulak também esclareceu que a SMS tem trabalhado com o objetivo de garantir que apenas as pessoas do grupo prioritário – trabalhadores da saúde, funcionários e moradores de instituições de longa permanência e indígenas – desta fase inicial de vacinação sejam imunizadas.

Por isso, além de concentrar os atendimentos no Barigui, tem procedido com checagem e rechecagem de todas as listas de vacinação enviadas pelos hospitais, cobrando das unidades informações precisas dos funcionários.

“Trata-se de um processo novo para todos, que estamos aprimorando, além de melhorar o diálogo com os hospitais”, afirmou. “Não queremos e não vamos perder o controle da vacinação do grupo prioritário”, assegurou, reforçando que a vacinação descentralizada a partir desta sexta-feira será feita pelas equipes da SMS.

Márcia lembrou que estão sendo vacinados trabalhadores de instituições públicas, privadas e filantrópicas.

.

Banda B

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.