Brasil

Menino que ia amputar as pernas consegue andar, mas precisa de ajuda para nova cirurgia

A família de  Arthur de Santana Rodrigues da Silva, de 3 anos, pede ajuda para arrecadar dinheiro e conseguir pagar uma cirurgia de urgência que o filho terá que se submeter. Será a quarta desde que ele nasceu. Artur é portador de uma doença rara nas pernas chamada Hemimelia Fibular, um defeito congênito  no qual uma parte da fíbula ou todo o osso estão ausentes, tornando a perna mais curta que o normal.

Em muitos casos, a criança não consegue andar, mas Artur, mesmo com o prognóstico de alguns médicos de que teria até que amputar as duas pernas, conseguiu dar os primeiros passos há um ano. Isso graças aos procedimentos cirúrgicos que se submeteu, todos bancados pela família com a ajuda de doações.

Mas agora, a perna esquerda de Arthur piorou e o especialista que o atende informou que uma cirurgia de urgência terá que ser feita. “O Arthur já passou por três cirurgias e a próxima já estava marcada para dezembro. Mas o médico disse agora que uma das pernas piorou muito e é preciso fazer a intervenção com urgência. Ele precisa colocar uma placa para corrigir o osso e isso vai custar R$ 20 mil para a intervenção e mais R$ 20 mil para para retirar a placa. Precisamos de ajuda, do contrário o Arthur deixar de andar e perder o que conquistou até aqui”, contou Mayara loch de Santana, mãe do menino.

Amputação

Arthur é portador da doença desde o nascimento. A família foi informada por médicos do SUS de que as pernas dele poderiam ser amputadas. Sem aceitar a medida extrema, Maiara conta que procurou atendimento particular e encontrou apenas um especialista em Curitiba. Soube então que havia alguma chance, por meio de cirurgias e fisioterapia diária, dele conseguir andar e evitar a amputação.

“Quando consegui a consulta pelo SUS, já tinha passado por um médico particular e ele disse que as chances do Arthur andar sem precisar amputar as pernas era grande. Então, quando ouvi que a única solução para ele era amputar, não aceitei. Se ele tiver 1% de chances de andar com as próprias pernas eu vou investir nisso”, lembrou Maiara.

Há um ano, depois de três cirurgias e muita fisioterapia, Arthur conseguiu dar os primeiros passos e hoje consegue andar. “Agora, veio a notícia de que a doença se complicou e precisamos de ajuda para essas novas cirurgias”, completou.

Maiara é moradora de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Separada do pai de Arthur há um ano, ela é estudante de Educação Física, trabalha nos finais de semana em um ginásio de esportes e tem mais dois filhos.

Nas cirurgias feitas até agora, foram gastos cerca de R$ 100 mil, arrecadados com doações. Uma página no Facebook chamada “Ajude o Arthur” tem a prestação de contas e toda a trajetória do menino.

Até o momento, para os novos procedimentos, foram arrecadados R$ 1,2 mil e falta bastante para alcançar os R$ 40 mil necessários.

Maiara ainda esclareceu que o filho não consegue a cirurgia pelo SUS porque não há na rede pública especialistas nesta doença. Ela encontrou um médico particular em Curitiba que é o único espacializado em reconstrução óssea aqui da região do Paraná.

Campanhas

Além da campanha criada na rede social que se chama “Ajude o Arthur”, Maiara contou que um grupo chamado “amigos solidários” estão organizando a noite do hambúrguer, outros amigos estão com um bazar com pastel programado para o dia 15 de junho e hoje o colégio João Paulo II fará uma festa junina com a renda revertida para ajudar o Arthur.

“Todos os eventos são feitos com doações, então só acontece dependendo da quantidade de doações. A renda da Festa Junina de hoje será toda revertida para o Arthur”, esclareceu.

Entenda a doença

A Hemimelia Fibular (H.F) trata-se de uma má formação congênita caracterizada pela ausência parcial ou completa da Fíbula, que é um osso inferior do corpo humano e, junto com a Tíbia, é responsável pela sustentação corporal.

A incidência dessa má formação é rara. Um a cada 50.000 nascidos são afetados por ela ao longo da 4º e 7º semana de gestação. Sua causa ainda não está definida, mas infecções virais, traumas e influências ambientais estão entre os possíveis motivos.

Como ajudar

Para quem quiser ajudar, Maiara está divulgando os dados da conta em nome de Arthur. Ainda não há data prevista para a cirurgia, pois eles precisam do valor integral para que o menino possa realizar o procedimento.

Segue os dados:

Arthur de Santana Rodrigues Silva.
Caixa Econômica Federal
Poupança: 013
Agência: 3915
Conta: 50064-4
Cpf: 125.537.289-30

Facebook: Ajude o Arthur

Apadrinhe essa causa.

Banda B

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduanda pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.