Paraná

Governo faz nova proposta a servidores, mas impasse em datas pode manter greve

O Governo do Paraná acenou, nesta segunda-feira (8), para uma nova proposta aos servidores estaduais, que estão em greve há duas semanas. Em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o líder do governo Hussein Bakri (PSD) disse que uma contraproposta do Fórum das Entidades Sindicais (FES) foi recebida e prevê um parcelamento no reajuste, mas com a primeira reposição de 2% acontecendo em janeiro. Os servidores, porém, pedem para ela aconteça ainda em outubro deste ano.

Segundo Bakri, o pagamento em outubro teria um impacto direto no 13° salário dos servidores, o que ocasionaria um impacto de R$ 500 milhões. “O governo tem colocado que não tem condições de pagar esse valor neste ano. O FES trouxe a contraproposta de seguir o projeto original, mas com esse pagamento sendo feito em outubro. É preciso deixar claro que o Estado não está sendo omisso e está conversando em um momento em que não tenho conhecimento de nenhuma outra discussão de data-base pelo país”, disse.

Na semana passada, o governo fez uma proposta de reajuste em etapas, sendo 0,5% a partir de outubro deste ano; 1,5% a partir de março de 2020; 1,5% a partir de janeiro de 2021 e 1,5% a partir de janeiro de 2022. Estas duas últimas parcelas ficariam condicionadas ao crescimento mínimo de 6,5% e 7%, respectivamente, da receita corrente líquida em relação ao ano anterior. Os servidores, porém, contestam datas e retirada de outros direitos conquistados pelas categorias.

Diante da proposta, o presidente da Alep, Ademar Traiano (PSDB), confirmou que o projeto de reajuste ficará para o segundo semestre. “A ideia era pautarmos esse projeto ainda no dia de hoje, mas parece que há um processo de negociação com o Governo e a liderança do Governo me pediu para que a gente não colocasse na pauta. Imagino que vamos tratar deste assunto só no mês de agosto. Os entendimentos estão ainda em fase de construção e eu não colocarei em pauta esta matéria neste período”, disse Traiano.

Mobilização

Para terça-feira (9), os servidores estão organizando um novo ato para pressionar o governo. De acordo com o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, o governador Ratinho Júnior tem colocado muitos impasses na negociação, o que mantém a greve. “É um período que a sociedade já entende a necessidade da nossa greve e com o que vem sendo colocado, não há como prosseguir. Temos um entendimento que o governo pode sim apresentar os 4,94%, que é o mínimo”, afirmou.

Para terça, os servidores esperam a chegada de 70 ônibus de manifestantes. A maioria, do setor da educação, já que a categoria representa 64% do conjunto de servidores.

Banda B

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduanda pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.