Araucária

Em um ano, acompanhamento de crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual mais do que dobra em Araucária

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), acompanha, no momento, a 96 casos de crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual; no ano passado (neste mesmo período) eram 44 casos ativos. As denúncias, que devem ser feitas ao Conselho Tutelar, ocorrem quase que diariamente em Araucária. A orientação é que sejam registradas até mesmo as suspeitas de violência para que o Conselho investigue. Se o abuso ou exploração for comprovado, o caso passa a ser acompanhado pelo Creas. É muito importante que a denúncia contenha o máximo de informações que levem a investigação a localizar a possível vítima.

O atendimento no Creas envolve toda a família e é feito por profissionais de referência, que trabalham para orientar a vítima e fazer com que o trauma seja superado, dentro do possível. A criança ou adolescente é afastada(o) do abusador e passa a receber acompanhamento; a família também recebe atendimento individual.

O Creas é um órgão de acompanhamento e orientação das vítimas, não de responsabilização criminal (esta a cargo da Justiça). É importante denunciar mesmo que a violência tenha acontecido há anos. “O abuso nunca vem sozinho, sempre vem acompanhada de ameaças ou violência, por isso, muitas vezes, a criança ou o adolescente leva anos para conseguir falar”, afirma a coordenadora do Creas Allyandra Souza.

Atualmente, em todos os casos que estão em acompanhamento no Creas de Araucária, o abusador era alguém de dentro de casa ou que possuía algum vínculo afetivo com a vítima. Por esse motivo, é importante que a família observe o comportamento da criança e do adolescente, para que sejam detectados sinais de um possível abuso. Entre eles, a mudança súbita de comportamento, queda do rendimento escolar e comportamento sexualizado. O trabalho do Creas é feito em rede com outras instituições (unidades de saúde, Ministério Público). Nas escolas, por exemplo, professores, pedagogos e educadores costumam perceber com mais frequência os sinais de abuso e são orientados a denunciar casos suspeitos.

Crime – O abuso sexual ocorre quando a criança ou adolescente é usada para satisfação sexual de um adulto, seja por estupro, beijos a força ou carícias. Essa violência vem acompanhada de uso de força física e/ou ameaça. O abusador geralmente é membro da família ou próximas a ela. A pena para esse tipo de crime é de oito a 15 anos de reclusão.
Já a exploração sexual se dá quando um adulto explora a criança ou adolescente como objeto sexual em troca de dinheiro ou favores. Para esse tipo de violência a pena é de quatro a 10 anos de reclusão.
Denúncia – As denúncias tanto para abuso quanto para a exploração sexual devem ser feitos no Conselho Tutelar, os telefones são:
Conselho Tutelar Oeste: (41) 3901-5365 durante o horário comercial ou (41)99922-1343, plantão de emergências.
Conselho Tutelar Leste: (41) 3901-5255 durante o horário comercial ou (41) 99922-1326 , plantão para emergências.
Outro meio para denúncias é o Disque Direitos Humanos (ligue 100), um número nacional que atende denúncias 24 horas, e assim como no caso do contato com os Conselhos Tutelares, garante o anonimato.

 

 

Prefeitura de Araucária

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduanda pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.