Paraná

Com tarifa mais baixa, cresce a procura por cartão-transporte

noticia_304330_img1_7f1inter

Desde que a Prefeitura de Curitiba anunciou o aumento da passagem de ônibus na Capital, e o preço diferenciado para quem utilizar o cartão transporte a partir de amanhã — com o cartão a passagem vai a R$ 3,15, e com dinheiro R$ 3,30 — a procura pela confecção do cartão disparou na Urbs. Ontem, filas gigantescas se formaram no setor. Havia fila também para abastecer o cartão, já que o valor antigo vai valer por 30 dias após o aumento.
Segundo informações da Urbs, na sexta-feira foram emitidos 254 cartões, e na segunda-feira e na terça-feira foram 632 e 644 respectivamente. O anúncio do aumento foi feito no começo da tarde de segunda-feira. A expectativa da Urbs é que, com a tarifa diferenciada, o número de usuários que usam o cartão passe dos atuais 57% para 70%.
A Urbs também fez uma projeção de que, com o aumento do uso do cartão transporte no sistema, mais de R$ 450 mil em dinheiro serão tirados de circulação, aumentando a segurança para cobradores, motoristas e usuários.
Apesar disso, quando a Prefeitura anunciou o preço diferente, o Ministério Público e o Procon alertaram a Prefeitura sobre uma possível irregularidade, já que haveria cobrança diferente para um mesmo serviço na cidade.
Tarifa — Na segunda-feira o governo do Estado também deve divulgar como será feito a cobrança nas linhas integradas metropolitanas. Segundo a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), a integração será mantida, mas uma engenharia deve ser necessário caso a tarifa tenha valores difertentes. Até lá, o valor fica em R$ 2,85 para quem pegar o ônibus fora de Curitiba.
O tema também foi discutido na Câmara Municipal, ontem. A sugestão de repassar R$ 41 milhões para abater o subsídio na Capital e impedir o aumento foi rejeitado na Casa. O recurso seria oriundo do Fundo Especial da Câmara, e foi destinado especificamente para a construção de um noov prédio, por isso não poderia ser usado de outra maneira. Também foi proposto que os ônibus da Capital começassem a circular com propaganda paga, o que também poderia baratear os custos.
Comissão — Ainda ontem, os vereadores concordaram em instalar uma comissão especial para dar seguimento ao trabalho realizado pela CPI do Transporte Coletivo. A comissão especial já foi criada, em fevereiro do ano passado, com a aprovação de uma proposição, mas ainda não havia sido instalada.
A instalação da comissão foi lembrada em plenário pela vereadora Professora Josete (PT). “Fizemos um trabalho importante na CPI do Transporte Coletivo, com uma condução primorosa do vereador Jorge Bernardi (PDT) e um relatório excelente do Bruno Pessuti (PSC). Foram apontados problemas sérios, mas nós não sabemos os desdobramentos, o que os outros órgãos estão fazendo”, queixou-se a parlamentar. “Se nada aconteceu, nós temos que tomar uma atitude”, afirmou.

 

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.